Fé e obras (15)


Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo? -  Tiago 2.14-19 

Um dos maiores dramas da Igreja dos nossos dias são as pessoas que dizem que creem em Cristo, mas ainda não vivem para Ele. Acreditam que tomaram uma decisão por Cristo, ou simplesmente herdaram a fé dos pais, foram batizados, tornaram-se membros de igrejas cristãs, mas na realidade não seguem a Cristo, nem o obedecem.


São pessoas que participam das atividades da igreja, mas não se preocupam em cultivar uma vida pura e reta. E esta é uma grande tentação daqueles que estão na igreja: a de professar a fé sem apresentar obras.

O apóstolo Tiago dá valor tanto a fé (1.6) como as obras (2.14). Porém, sua carta fala mais das obras, porque provavelmente os cristãos daquela época estavam apenas professando a sua fé, mas não praticando.

A importância da fé é claramente mostrada nas cartas aos Romanos e Hebreus. Entretanto, se essa fé não produzir evidências visíveis, ela será como um plano que nunca foi realizado e seremos como árvores infrutíferas.

A obra é fruto (Tiago 3.13,17). O fruto do Espírito é amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão e domínio próprio (Gálatas 5.22). Mas essas virtudes precisam se manifestar através de atos e fatos.

O fruto não pode ser abstrato. Precisa ser concreto. De que adianta um amor não revelado, não transmitido por meio de ações?

A fé é obviamente superior nesse aspecto porque a nossa salvação depende dela. "Pela graça sois salvos mediante a fé" (Efésios 2.8). Já as obras devem ocorrer de acordo com os recursos e o tempo que Deus tiver nos concedido.

Lembre-se do ladrão da cruz, que se converteu ao lado de Cristo, mas não teve tempo de fazer obra alguma, todavia foi salvo. Nós, porém, que temos tempo e recursos devemos fazer boas obras, não para sermos salvos, mas como fruto natural da nossa fé.

A fé produz as obras e não o contrário. Portanto Tiago não está condicionando a salvação à prática de boas obras. O sentido é o seguinte: se a fé de alguém não produz obras, pode-se concluir que essa mesma fé não produzirá salvação, pois é ineficaz ou inexistente, é morta.

E sua fé, tem produzido obras?


Índice de artigos em Tiago
01 - Alegria nas provações
02 - Sabedoria nas provações
03 - Humildade nas provações
04 - Responsabilidade nas provações
05 - Rápido e demorado
06 - Expulsar e acolher
07 - Ouvir e praticar
08 - Fofoca: a síndrome da religião vazia
09 - A caridade na igreja
10 - O mundanismo é pior do que você imagina
11 - Igualdade e respeito na igreja
12 - Enxergando além das aparências
13 - A lei do amor
14 - A fé e o amor ao próximo
15 - Fé e obras
16 - Fé e ação
17 - Fé e obediência
18 - A fé de Abraão
19 - A fé de Raabe
20 - A maturidade cristã e o uso da língua
21 - Pela unidade da igreja
22 - O freio, o leme e a fagulha
23 - O poder aniquilador da língua
24 - A perversidade da língua
25 - A verdadeira sabedoria
26 - A sabedoria mundana
27 - A sabedoria que provém de Deus
28 - A batalha que você não deve entrar
29 - A oração que você não deve fazer
30 - Não seja amigo do seu inimigo
31 - A amizade que você não deve cultivar
32 - Três bênçãos
33 - Como você usa sua língua? Para benefício ou malefício?
34 - O que a fofoca revela sobre você
35 - "Pequeno" pecado, grande estrago
36 - A fragilidade da vida humana
37 - Se Deus quiser
38 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a miséria
39 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a frustração
40 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a destruição
41 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a degradação pessoal
42 - Seja paciente até a vinda de Jesus
43 - Seja paciente como o agricultor 
44 - Seja paciente como os profetas
45 - Seja paciente como Jó
46 - Sim, sim. Não, não.
47 - Exercitando a empatia

Tecnologia do Blogger.