O que a fofoca revela sobre você (34)


Irmãos, não faleis mal uns dos outros... - Tiago 4:11



O dicionário define maledicência como hábito de dizer mal dos outros, difamar, detratar, fazer comentário maldoso, injuriar. 

Nossa cultura não apenas tolera a maledicência como também a incentiva. Nos programas de televisão, por exemplo, muitos apresentadores aproveitam para alfinetar os outros artistas – como os programas de celebridades e os de esportes. 

No dia-a-dia das pessoas não parece ser diferente. Até mesmo na igreja, vemos tanto esse tipo de coisa, que podemos achar até normal. 

Mas a verdade é que a maledicência é a base da fofoca e, a partir do momento que ela entra em cena, a ética sai pela primeira porta disponível. As fofocas dificilmente têm propósito construtivo, educativo ou corretivo. 

Os motivos que levam uma pessoa falar mal da outra variam muito. Inveja, revanchismo, ódio e até mesmo insegurança, ou a necessidade de se sentir superior, mostrando que o outro é inferior. 

Há até mesmo gente que acredita que ao falar mal de uma pessoa, está se aproximando mais do seu ouvinte e se tornando seu amigo e confidente. E com este gesto dá um tiro no próprio pé – pois, ao virar as costas, a primeira coisa que seu confidente vai pensar é: se ele fala dos outros assim, falará de mim também! 

O que nunca pensamos é que quando falamos mal de alguém revelamos muito sobre nós mesmos. Sobre nossos sentimentos mais mesquinhos! Esta é a grande ironia da fofoca, ela revela mais sobre nós do que sobre os outros que miramos.

Hoje em dia até nas empresas as pessoas tomam cuidado com esse assunto e oferecem orientação para que funcionários não caiam nesse tipo de erro, porque isso ao ver das empresas, enfraquece a equipe e cria divisões, diminuindo a produtividade. 

Nós não somos empresa. Somos igreja. E só este fato deveria ser suficiente para termos muito mais atenção e não cairmos neste tipo de erro, pois a Bíblia é bem clara nesse sentido. Ela ensina que não devemos falar mal uns dos outros.

Para pensar
Quais tem sido nossas motivações ao falarmos das pessoas? Avaliemos com honestidade os sentimentos mesquinhos que brotam no nosso coração e confessemos a Deus para que haja real mudança de vida.


Índice de artigos em Tiago
01 - Alegria nas provações
02 - Sabedoria nas provações
03 - Humildade nas provações
04 - Responsabilidade nas provações
05 - Rápido e demorado
06 - Expulsar e acolher
07 - Ouvir e praticar
08 - Fofoca: a síndrome da religião vazia
09 - A caridade na igreja
10 - O mundanismo é pior do que você imagina
11 - Igualdade e respeito na igreja
12 - Enxergando além das aparências
13 - A lei do amor
14 - A fé e o amor ao próximo
15 - Fé e obras
16 - Fé e ação
17 - Fé e obediência
18 - A fé de Abraão
19 - A fé de Raabe
20 - A maturidade cristã e o uso da língua
21 - Pela unidade da igreja
22 - O freio, o leme e a fagulha
23 - O poder aniquilador da língua
24 - A perversidade da língua
25 - A verdadeira sabedoria
26 - A sabedoria mundana
27 - A sabedoria que provém de Deus
28 - A batalha que você não deve entrar
29 - A oração que você não deve fazer
30 - Não seja amigo do seu inimigo
31 - A amizade que você não deve cultivar
32 - Três bênçãos
33 - Como você usa sua língua? Para benefício ou malefício?
34 - O que a fofoca revela sobre você
35 - "Pequeno" pecado, grande estrago
36 - A fragilidade da vida humana
37 - Se Deus quiser
38 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a miséria
39 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a frustração
40 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a destruição
41 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a degradação pessoal
42 - Seja paciente até a vinda de Jesus
43 - Seja paciente como o agricultor 
44 - Seja paciente como os profetas
45 - Seja paciente como Jó
46 - Sim, sim. Não, não.
47 - Exercitando a empatia

Tecnologia do Blogger.