A sabedoria que provém de Deus



A sabedoria, porém, lá do alto é, primeiramente, pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimentos - Tiago 3:17  


A sabedoria lá do alto é aquela que provém de Deus. Ela entra diretamente em contraste com a sabedoria mundana. Esta sabedoria inspirada por Deus tem as seguintes virtudes, conforme ensina o versículo 17: 


É uma sabedoria pura. Significa que a pessoa está sincera e totalmente comprometida em seguir com fidelidade as diretrizes morais de Deus. Não há uma motivação desleal ou injusta por trás de sua santidade. 

É uma sabedoria pacífica. Ela traz paz comunitária aos relacionamentos dos cristãos. 

É uma sabedoria indulgente, moderada - que possui um espírito conciliador, inimigo de contendas. É vista naquela situação onde alguém nos pede orientação e ao invés de incitar a batalha, promovemos o diálogo. 

É uma sabedoria tratável. A pessoa que a possui tem um espírito aberto ao aprendizado, maleável, alguém que com toda a alegria se submete à correção de um erro ou ao aprendizado de uma nova verdade. As pessoas mais difíceis de lidar são aquelas que não admitem correção, não admitem estarem erradas.

É uma sabedoria plena de misericórdia e de bons frutos. Ambas as coisas são atos de caridade que Tiago tanto fala em sua carta. Sabedoria não é um conceito intelectual, mas uma habilidade prática para discernir a vontade de Deus e agir em conformidade com ela. 

É uma sabedoria sem fingimento, ou seja, sem parcialidade e sem hipocrisia. É imparcial, sincera e livre de preconceitos. 

Diante de todas essas virtudes, o versículo 18 conclui com chave de ouro. 

Tiago 3:18
18 – Ora, é em paz que se semeia o fruto da justiça, para os que promovem a paz. 

Tiago está pensando nos agricultores de sua época. Imagine então a cena. Era em paz que os agricultores jogavam as sementes sobre a terra. Os seus campos não eram semeados entre uma multidão tumultuada, ou no centro de uma guerra. Nada era mais calmo, quieto, e pacificante, do que o agricultor andando passo a passo sobre seus campos e jogando as sementes em silêncio. 

Da mesma forma devemos nós semear as Sementes do Reino de Deus na preparação para a grande colheita que Cristo fará em sua volta. 

A semente é a Palavra, o terreno é o mundo. E isso deverá ser feito em paz por homens e mulheres! Não poderemos fazer isso se tivermos em nosso meio guerras particulares, tumulto, contendas, divisões e impiedade. 

Pelo contrário, para semear é necessário uma vida pura e santa. Devemos ser trabalhadores silenciosos e discretos, dispersando em paz a semente da Palavra de Deus sobre o mundo. Conflitos e desavenças não produzem justiça. O caminho da justiça se chama paz! 

Para pensar
A vida das pessoas é sempre guiada por um tipo de sabedoria. As conseqüências dessa decisão são sérias. Se os cristãos afirmam que vivem segundo a sabedoria do Evangelho, mas produzem continuamente competições e rivalidades, estão na verdade, distorcendo o Evangelho. 

Qual é a sabedoria tem guiado nossas vidas?

--------------------------------------------------
Andrei de Almeida Barros é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Em 1998 trabalhou como missionário em Portugal. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e ordenado pastor em 2004. Atualmente cursa Licenciatura em História. É fundador e editor do site www.semeandovida.org
Tecnologia do Blogger.