Sociais

"Pequeno" pecado, grande estrago!



Aquele que fala mal do irmão ou julga a seu irmão fala mal da lei e julga a lei;
Tiago 4.11

Nunca lhe ocorreu que ao cometer um erro aparentemente pequeno, na verdade, estivesse fazendo uma grande contravenção? Certas coisas, nem que sejam muito pequenas, podem causar um estrago enorme.

Certa vez um sujeito foi tomar caldo de cana e uma daquelas abelhinhas que ficam em volta o picaram. Foi uma correria para o hospital, pois aquela pequena abelha desencadeou uma violenta reação alérgica no seu organismo.

A mesma coisa se aplica ao mau uso da capacidade de comunicação. Quando alguém não controla sua língua contra outro irmão, está não apenas falando mal ou o julgando, mas também está descumprindo, difamando e julgando a própria Lei de Deus.



A palavra grega para julgar que Tiago usa, é a mesma usada por Jesus em Mateus 7.1. Não se trata de julgar no sentido de se cultivar um discernimento do que é bom ou mal. Não é o exercício da faculdade crítica que está sendo condenado.

O julgar aqui é a crítica selvagem e dura. É aquele tipo de crítica ferina que enfraquece, em vez de fortalecer, que destaca a justiça própria dos que a exibem e convida a outros para se vingarem. É proferir condenação, sentença, num desejo de que a pessoa seja penalizada. É desejar o pior.

Julgar se transforma então, não em apontar onde a pessoa falhou de maneira pessoal e amorosa, mas em prescrever uma sentença de condenação. Fazendo isso, ignoramos o fato de que só Deus é juiz - "...não és observador da lei, mas juiz" - Tiago 4:11


Ou seja, estaremos nos colocando numa posição que não nos pertence! Estaremos nos comportando como juízes desta lei. Mas o problema que este cargo já está ocupado: por Deus! Queremos, por acaso, invadir a jurisdição que pertence a Deus, ou ocupar o seu lugar?

Um só é Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e fazer perecer; tu, porém, quem és, que julgas o próximo? - Tiago 4:12

Quando falamos mal uns dos outros estamos indo pelo caminho errado, pela estrada errada, pela lógica errada e o pior, estamos nos colocando na posição errada – pois só Deus é o verdadeiro Legislador e Juiz. É ele que fez a Lei, não nós. É Ele que julga, não nós.

Nós somos adoradores, criaturas de Deus. E estamos sob o governo dEle. Nós mostramos amor por Deus obedecendo-o. E uma das provas de obediência é usar a nossa capacidade de comunicação de forma redentora, de forma misericordiosa, não para condenar e sentenciar pessoas, mas para exercer o amor sobre elas.

--------------------------------------------------
Andrei de Almeida Barros é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Em 1998 trabalhou como missionário em Portugal. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e ordenado pastor em 2004. Atualmente cursa Licenciatura em História. É fundador e editor do site www.semeandovida.org
Google Plus