Sim, sim. Não, não (46)


Acima de tudo, porém, meus irmãos, não jureis nem pelo céu, nem pela terra, nem por qualquer outro voto; antes, seja o vosso sim sim, e o vosso não não, para não cairdes em juízo - Tiago 5.12

As pressões e circunstâncias da vida sempre nos empurram na berlinda e diante disso há uma tentação comum a todos nós: a mentira. Associado a ela surge o juramento leviano na tentativa de dar legitimidade ao que se fala.

Jurar é um hábito muito comum e aceitável socialmente entre os brasileiros. Quando há alguma dúvida sobre alguém ou sobre algo, é comum se dizer: "Juro pela minha mãe!"; “Juro pelo meu pai”; "Juro por Deus!"; e assim por diante.

Mas é correto recorrer a juramentos? Em Tiago 5.12 e em textos com Oséias 4.2 e Mateus 5.33-37 o juramento é claramente condenado.

Por outro lado, há muitas passagens na Bíblia que falam de juramentos abençoados por Deus como Gênesis 21:24 e Deuteronômio 6:13.

Além disso, até mesmo anjos fizeram juramentos, como diz Apocalipse 10:5-6, como o próprio Deus jurou por si mesmo, como é relatado em Hebreus 6:13.

Obviamente há um bom e um mau sentido no ato de jurar. Os bons juramentos são verdadeiros, para o bem, sagrados, significativos, sérios e judiciais. Os maus juramentos são falsos, para o mal, profanos, vãos, frívolos e secretos.



Tiago está falando em sua carta sobre o mau juramento. E quando começamos a usar de juramentos de maneira banal não pensamos em algumas questões que trazem juízo para nós mesmos.

Segundo, jurar por Deus e não cumprir significa tomar o seu nome em vão, o que a Bíblia condena (Êxodo 20.7).

Terceiro, a necessidade constante de juramento revela que nossa palavra não tem peso e valor suficientes.

Ou seja, quem jura é porque está precisando apelar a um valor maior que ele próprio para validar sua palavra.

A Bíblia orienta para que sejamos pessoas confiáveis e de palavra. O nosso "sim", deve ser realmente um sim, e o nosso "não", deve ser de fato um não.

"O que passar disso vem do Maligno", disse o próprio Jesus. Ou seja, é mentira! E o pai da mentira é o diabo.

Portanto, se jurar equivocadamente tem se tornado um mau hábito na sua vida, peça ajuda de Deus e corrija este comportamento. Ao mesmo tempo, se você tem prometido alguma coisa a alguém ("vou orar por você"; "vou pagar o dinheiro que lhe devo"; etc.), cumpra ou retrate-se.

Quando for tentado a mentir, não jure. Tenha uma só palavra, verdadeira.


Índice de artigos em Tiago
01 - Alegria nas provações
02 - Sabedoria nas provações
03 - Humildade nas provações
04 - Responsabilidade nas provações
05 - Rápido e demorado
06 - Expulsar e acolher
07 - Ouvir e praticar
08 - Fofoca: a síndrome da religião vazia
09 - A caridade na igreja
10 - O mundanismo é pior do que você imagina
11 - Igualdade e respeito na igreja
12 - Enxergando além das aparências
13 - A lei do amor
14 - A fé e o amor ao próximo
15 - Fé e obras
16 - Fé e ação
17 - Fé e obediência
18 - A fé de Abraão
19 - A fé de Raabe
20 - A maturidade cristã e o uso da língua
21 - Pela unidade da igreja
22 - O freio, o leme e a fagulha
23 - O poder aniquilador da língua
24 - A perversidade da língua
25 - A verdadeira sabedoria
26 - A sabedoria mundana
27 - A sabedoria que provém de Deus
28 - A batalha que você não deve entrar
29 - A oração que você não deve fazer
30 - Não seja amigo do seu inimigo
31 - A amizade que você não deve cultivar
32 - Três bênçãos
33 - Como você usa sua língua? Para benefício ou malefício?
34 - O que a fofoca revela sobre você
35 - "Pequeno" pecado, grande estrago
36 - A fragilidade da vida humana
37 - Se Deus quiser
38 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a miséria
39 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a frustração
40 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a destruição
41 - Apegue-se ao dinheiro e encontre... a degradação pessoal
42 - Seja paciente até a vinda de Jesus
43 - Seja paciente como o agricultor 
44 - Seja paciente como os profetas
45 - Seja paciente como Jó
46 - Sim, sim. Não, não.
47 - Exercitando a empatia

Tecnologia do Blogger.