Lucas



O evangelista Lucas
É provável que o médico amado de Paulo (Colossenses 4:14; 2 Timóteo 4:11) tenha escrito seu Evangelho nas proximidades do ano 60, durante os dois anos em que o apóstolo esteve preso em Cesaréia (Atos 24:27).

Habituado por causa de sua profissão a ver de perto o sofrimento, Lucas era particularmente indicado para fazer sobressair o aspecto profundamente humano da Pessoa de Cristo, o Homem que Se dá pelos homens, compadecendo-Se deles, de suas dores físicas e morais.

A expressão "cheio de compaixão" é característica do Evangelho segundo Lucas. Efetivamente, descobrimos o Filho do homem aproximando-Se dos homens, para participar das suas angústias e livrá-los delas: "Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o perdido", (Lucas 19:10).

O homem de ciência que é Lucas não nega o milagre; pelo contrário, inclina-se ante a onipotência do Senhor, apresentando-nos em primeiro lugar o mistério da concepção por obra do Espírito Santo no seio da virgem Maria.

Dos quatro evangelistas é também Lucas quem narra o maior número de curas realizadas pelo divino Médico.


Os dois escritos de Lucas
Os Atos dos Apóstolos, igualmente redigidos por Lucas, constituem a continuação do seu Evangelho.

Lendo esses dois livros um após outro, ficamos maravilhados diante do desabrochar da mensagem de salvação: primeiramente anunciada em Jerusalém e na Galiléia, depois manifestada em Belém e em toda a Palestina, em seguida confirmada pela Cruz e pela ressurreição e, enfim, sancionada pelo Espírito, antes de ser espalhada pelos apóstolos até as extremidades da terra.

Lucas, o evangelista dos gentios
Em seus dois livros, Lucas se dirige ao “excelentíssimo Teófilo". Esse nome grego e a forma de delicadeza que o precede mostram-nos que o evangelista destina seu escrito a uma personagem influente do mundo gentio.

Ora, esta intenção é simbólica. Enquanto Mateus dirigiu-se principalmente aos judeus, para provar-lhes que Jesus era o Messias, e Marcos apresentou o Mestre preparando

Seus discípulos, Lucas abre as comportas da graça divina para o mundo gentio, colocando-o na presença do Deus que se fez Homem para salvar todos os homens, sem distinção de raça ou de classe. Caberá a João apresentar o indispensável complemento a esse conjunto: O Filho de Deus, convidando judeus e gentios a crer nEle para terem a vida eterna.

O plano do Evangelho segundo Lucas
Sete elementos do magnífico texto de Filipenses 2:6-9 podem resumir admiravelmente as sete etapas do Evangelho segundo Lucas, o que faz sobressair mais uma vez a unidade das Escrituras.

1 - Subsistindo em forma de Deus... esvaziou-Se a Si mesmo...
Cap. 1 e 2 - O nascimento miraculoso de Jesus Cristo.

2 - Assumindo a forma de servo...
Cap. 3 0 testemunho de João Batista, o batismo de Jesus, a genealogia de Jesus: três fatos através dos quais Jesus toma a forma de Servo como previra o Velho Testamento.

3 - Tornando-Se em semelhança de homens...
Cap. 4:1-15 - A tentação: Jesus foi tentado como nós, em todas as coisas (Hebreus 4:15).



4 - Reconhecido em figura humana, a Si mesmo Se humilhou...
Cap. 4:16-9:17 O ministério do Filho do homem entre os homens.

5 - Tornando-Se obediente até à morte...
Cap. 9:18-22:38 A subida para Jerusalém durante a qual Jesus previne sete vezes Seus discípulos de Sua morte próxima.

6 - E morte de Cruz...
Cap. 22:39-23:56 - A prisão, o processo e a crucificação de Cristo.

7 - Pelo que também Deus O exaltou sobremaneira e Lhe deu o nome que está acima de todo nome...
Cap. 24 - A ressurreição de Jesus, onde aparece pela primeira vez a menção "Senhor Jesus" (24:3).

Tecnologia do Blogger.