1º Crônicas



O assunto do livro das Crônicas
Quem lê a Bíblia pela primeira vez pode perguntar a causa de existirem dois livros das Crônicas - um só no original hebraico - que retomam o assunto já desenvolvido em 2 Samuel, e 1 e 2 Reis, a saber, o desenvolvimento da história de Israel desde a época de Davi até a dos cativeiros (10º a 5º século A.C.).

A finalização dos dois livros das Crônicas
Um fato deve ser lembrado: enquanto a redação dos livros de Samuel e Reis foi provavelmente contemporânea dos acontecimentos que narram, a maior parte dos comentadores atribuí aos livros das Crônicas um período posterior.

É provável que tenham sido escritos depois dos cativeiros, quando os judeus voltaram para a Palestina, encorajados pelo imperador Ciro, da Pérsia.

Embora o texto não o afirme, é muito possível que os livros das Crônicas tenham sido obra de Esdras, o escriba, esse "homem versado na lei do seu Deus" (confira Esdras 7:6) e chamado a voltar da Babilônia para instruir o povo na religião de seus pais.

A comparação dos últimos versículos de 2 Crônicas com os primeiros do livro de Esdras leva a confirmar essa suposição.



Ora, a perturbação dos cativeiros tinha cortado tão completamente o fio da história que as novas gerações de Israel já não aprendiam mais o hebraico, (confira Neemias 8:8) e ignoravam todo o seu glorioso passado.

Era preciso, pois, que um homem, versado nas Escrituras, unisse essa linha do tempo, reatando o presente ao passado. Esdras teve essa missão.

Ele lembrou ao povo as promessas de Deus a respeito de sua vocação de povo eleito.

Exortou os filhos do cativeiro a verem no despertar espiritual da volta do exílio a realização dessas promessas e o desabrochar de sua vocação original.

Eis o papel do escritor sagrado inspirado pelo Espírito Santo para redigir as Crônicas.

A mensagem dos 2 livros das Crônicas
Evidentemente esses dois documentos inspirados se encaixam muito harmoniosamente no conjunto histórico do Velho Testamento.

A narrativa dos livros de Samuel e Reis, de um lado, e das Crônicas, de outro lado, completam-se maravilhosamente, sem nunca se contradizer.

Encontramos aí grandes riquezas espirituais e profundos encorajamentos; essas páginas sagradas demonstram também que "foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado" - 1 Coríntios 10:11.

Primeira seção de 1 Crônicas
Observação primordial: os capítulos 1-9 trazem uma série de árvores genealógicas, o que era da mais alta importância para os israelitas, sobretudo após uma perturbação militar e social tão grande como a dos cativeiros (confira Esdras 2:62).



Segunda seção de 1 Crônicas
Os 20 capítulos seguintes traçam de novo diante de nós os principais acontecimentos do reino de Davi.

Contudo, observa-se que, ao contrário dos livros de Samuel, o autor das Crônicas insiste em fazer sobressair as reformas eclesiásticas instituídas por Davi com vistas à construção do templo e à organização do culto.

Não esqueçamos que, ao voltar dos cativeiros, os judeus foram chamados a reconstruir o templo de Jerusalém e a restabelecer o sacrifício levítico.

Assim, ser-lhes-ia muito proveitoso o conhecimento de experiências idênticas às suas, passadas por seu povo cinco séculos antes.

Tecnologia do Blogger.