Cantares de Salomão


O assunto
Um livro que pode parecer audacioso ao leitor que não lhe compreende a mensagem profunda, assim é este 22º livro do Cânon sagrado.

O amor apaixonado de um homem e de uma mulher eis o tema deste poema lírico.

Os personagens
Distinguem-se duas figuras centrais em torno das quais evolui o coro das filhas de Jerusalém:

1 - A Sulamita, jovem israelita de rosto queimado pelo sol ao guardar as vinhas.
2 – O rei Salomão, resplandecente de glória.

A significação
Este livro visa muito mais alto que o amor humano que ele apresenta como ilustração. Os judeus tinham o costume de ler nas cerimônias comemorativas da Páscoa, uma alegoria do amor de Deus por Israel.

Assim também nos Cantares eles viam um símbolo do amor de Deus pelo Seu povo eleito (confira Isaías 54.5-6; Oséias 2.16-23).



Mais tarde, os cristãos discerniram nessa parábola a expresão do amor que une a Igreja, a Esposa do Cordeiro (Apocalipse 19.7-8; 21.9), a seu celeste Esposo, coroado de glória e de honra.

Como a Sulamita, o crente suspira pelo divino Salomão, rei da Paz. Desejar pertencer inteiramente a seu Senhor, gozando aqui na terra horas de íntima comunhão.

A igreja, como a Sulamita, chora e sofre a separação, até o dia em que, irrepreensível e pura, estará unida para sempre a seu divino Esposo.

ÍNDICE

Tecnologia do Blogger.