Gênesis


Foto: Zigurate em Ur, na Caldéia, pátria de Abraão. 


"Ora disse O SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela..." - Gênesis 12:1

Sua Importância 
Tudo provém de uma causa, e a causa explica o efeito. Revelando-nos a origem de todas as coisas, o Gênesis desvenda-nos as causas profundas dos grandes fatos da história. 

Contém o germe de todas as verdades bíblicas. Ele é o fundamento do Templo da Revelação. Se o suprimíssemos da Bíblia, todo o edifício desmoronaria. 

O título do original hebraico é sugestivo: "No princípio" (1:1). Efetivamente o Gênesis é a introdução inspirada da Palavra divina. 

O livro dos começos 
Sendo assim, ele revela o tempo, saindo da eternidade; o universo, emergindo do caos; o homem, surgindo da mão do Criador. 

Descreve o aparecimento do pecado no jardim do Éden, a origem do sofrimento e da morte, o começo da civilização, da indústria, das artes (Gênesis 4), dos povos (Gênesis 10), das línguas (Gênesis 11). Finalmente, apresenta-nos as primícias da raça eleita: Abraão, Isaque, Jacó, José. 

O Gênesis é também o preâmbulo inspirado das grandes intervenções de Deus, a respeito de Suas criaturas. 

  • Suas primeiras promessas (Gênesis 3:15; 8:21-22; 12:3). 
  • Suas primeiras testemunhas (4:4; 5:24; 6:8-9). 
  • Seus primeiros julgamentos (3:14-19; 7:21-23; 11:6-9; 19:24-25). 
  • Suas primeiras alianças (9:8-17; 17:3-14). 
  • Seus primeiros compromissos com Israel (12:2-3; 15:18-21; 48:21; 50:24, etc). 
  • Suas primeiras afirmações quanto à vinda de um Salvador para o mundo (3:15; 12:2; 22:15-18 ;49:10, etc). 


O conteúdo do livro 

Os acontecimentos históricos narrados pelo primeiro livro de Moisés desenrolam-se durante um período de mais ou menos 24 séculos. Suas seções literárias originais são marcadas por onze menções sucessivas de uma nova criação, geração ou posteridade. 

1:1 – a terra 
2:4 – o homem 
5:1 – a raça 
6:9 – Noé 
10:1 – os filhos de Noé 
11:10 – Sem 
11:27 – Abrão 
25:12 – Ismael 
25:19 – Isaque 
36:1 – Esaú 
37:2 – Jacó 

Todavia a importância dessas divisões se atenua diante da grandeza progressiva da mensagem espiritual de Gênesis, que se projeta em três grandes perspectivas: 

1. Geração (Cap. 1-2) 


a) natureza (1:1-25) - Apesar de ser de uma simplicidade extraordinária, o relato da criação permanece em perfeito acordo com os dados científicos mais recentes; a aparição da luz precede à do disco solar; os vegetais são anteriores aos animais; os grandes peixes antecedem aos mamíferos e ao homem. 

b) o homem (1:26 a 2:25) - Na origem, Adão é uma criatura maravilhosa, capaz de dominar todos os animais. Vive em pleno acordo com Deus, no mais belo dos jardins, não conhecendo nenhuma das limitações naturais ou das moléstias físicas causadas pelo pecado. 


2. Degeneração (Cap. 3-11) 
O pecado que mancha tudo em nossas vidas, encontra-se igualmente na origem de todos os males da humanidade. 

  • Pela desobediência, Adão perde o contato com Deus e herda o jugo do sofrimento (Gênesis 3), a primeira família fica marcada pelo homicídio (Gênesis 4) e os primeiros indivíduos da raça sucumbem à morte (Gênesis 5); 
  • A sociedade se corrompe a tal ponto (Gênesis 6) que Deus precisa julgá-la e exterminá-la (Gênesis 7); 
  • Noé e os seus, apenas saem da arca (Gênesis 8), e já reaparecem os sintomas do vício, inato no coração do homem (Gênesis 9); 
  • As nações em estado embrionário não escapam à infecção do mal (Gênesis 10) e, diante da primeira manifestação de seu orgulho coletivo, o Todo-Poderoso lhes confunde a linguagem e os dispersa por toda aterra (Gênesis 11). 


3. Regeneração (Cap. 12-50) 

Contudo, se por um lado a degeneração feriu sucessivamente o homem, a família, a sociedade e as nações, Deus, por outro lado, vai construir Sua obra, retomando o edifício pela base. 

Escolhe um homem, Abrão; afasta-o de seu país, para revelar-lhe Seus planos de graça em favor do mundo (Gênesis 12-24); estabelece uma família, os patriarcas, separando-a dos povos vizinhos, para manifestar-lhe Seus atributos divinos (Gênesis 25-36); preserva a sociedade da fome, servindo-se de José (Gênesis 37-41), o escravo vendido por seus irmãos, mas que Deus suscitou para salvar a nação eleita (Gênesis 42-50). 

Conclusão 
O Gênesis começou introduzindo-nos na presença do Deus eterno, fonte de todo o poder criador (1:1), mas terminou na atmosfera sepulcral de um ataúde no Egito (50:26). 

Entretanto, o germe da vida foi depositado neste túmulo! Is¬rael ressuscitará dele; sairá vitorioso do país dos Faraós. O primeiro livro de Moisés constitui, pois, o prólogo indispensável do segundo: o Êxodo.

ÍNDICE

Tecnologia do Blogger.