48 - Restauração


B - A RESTAURAÇÃO

A Igreja novamente episcopal
Seguiu-se, à imposição dos puritanos, uma tremenda reação contra tudo que eles tentaram introduzir e realizar. 

Restaurou-se a monarquia em 1660, com Carlos II, filho do rei que fora levado à morte. Logo, o novo governo restaurou a igreja nacional àquela forma que tinha existido antes da vitória dos puritanos, a do tempo da Reforma.

Os bispos voltaram às suas sedes e o Livro de Oração Comum voltou a ser o manual de culto. O Parlamento exigiu que todos os ministros declarassem sua plena aprovação ao livro.

A grande expulsão
Por se oporem a isto, cerca de dois mil ministros Presbiterianos, Congregacionais e Batistas foram expulsos das suas igrejas. 

Apesar de enfrentarem os perigos da Lei, muitos deles continuaram a pregar em reuniões fora das igrejas e milhares dos seus paroquianos arriscaram-se a ser presos, por ouvi-los.

Foi nessa "Grande Expulsão" de 1662, quando esses adeptos do puritanismo foram expulsos da Igreja da Inglaterra, que se lançaram os fundamentos da Igreja Livre desse país.



Perseguições aos dissedentes
Seguiram-se várias tentativas de supressão dos dissidentes. Atos oficiais proibiam assistência às reuniões religiosas que não fossem da igreja oficial, sob penas severas. 

Por uma falta dessa natureza foi preso, por doze anos, o célebre João Bunyan, que na prisão de Bedford escreveu "O Peregrino" ou "A viagem do Cristão". Mas a despeito de tudo isto a oposição continuou.

Imoralidade social
A oposição ao Puritanismo, liderada pelo Parlamento, resultou no aparecimento de uma onda terrível de imoralidade que atingiu a aristocracia inglesa e afetou grandemente outras camadas sociais, nos anos que se seguiram a 1660. 

Depois da severidade da regra puritana, a situação descambou para o outro extremo. O exemplo de um rei corrupto contribuiu para agravar essa tendência. Por essa época parecia que o Puritanismo tinha sido aniquilado. 

Mas tal não aconteceu quando cessou a reação. O Puritanismo tinha realizado uma obra profunda e duradoura no povo inglês, inculcando-lhe um caráter sincero e um fervor que jamais desapareceram.

Por Robert Hastings Nichols

ÍNDICE

A preparação para o Cristianismo
01 - A contribuição dos Romanos, Gregos e Judeus
02 - Como era o mundo no surgimento do cristianismo

A fundação e expansão da Igreja
03 - Jesus e sua Igreja
04 - A Igreja Apostólica Até o Ano 100

A Igreja antiga (100 - 313) 
05 - O mundo em que a Igreja vivia (100 - 313)
06 - Características da Igreja Antiga (100-313)

A Igreja antiga (313- 590) 
07 - O mundo em que a Igreja vivia (313 - 590)
08 - Características da Igreja Antiga (313-590)

A Igreja no início da Idade Média (590 - 1073) 
09 - O mundo em que a Igreja vivia (590-1073)
10 - Características da Igreja no início da Idade Média 
11 - O cristianismo em luta com o paganismo dentro da Igreja

A Igreja no apogeu da Idade Média (1073 - 1294) 
12 - A Igreja no Ocidente - O papado Medieval - Hildebrando
13a - Inocêncio III
13b - A Igreja Governa o Mundo Ocidental
14 - A guerra da Igreja contra o Islamismo - As cruzadas 
15 - As riquezas da Igreja
16 - A organização da Igreja
17 - A disciplina e a lei da Igreja Romana
18 - O culto da Igreja
19 - O lugar da Igreja na religião
20 - A vida de alguns líderes religiosos: Bernardo, Domingos e Francisco de Assis
21 - O que a Igreja Medieval fez pelo mundo
22 - A igreja Oriental

Decadência e renovação na Igreja Ocidental (1294 - 1517)

23 - Onde a Igreja Medieval falhou
24 - Movimentos de protesto: Cataristas, Valdeneses, Irmãos
25 - A queda do Papado
26 - Revolta dentro da igreja: João Wycliff e João Huss
27 - Tentativas de reforma dentro da Igreja
28 - A Renascença e a inquietude social como preparação para a Reforma

Revolução e reconstrução (1517 - 1648) 
29 - A Reforma Luterana
30 - Como Lutero se tornou reformador
31 - Os primeiros anos da Reforma Luterana
32 - Outros desdobramentos da Reforma Luterana
33 - A Reforma na Suíça - Zuínglio
34 - Calvino - líder da Reforma em Genebra
35 - A Reforma na França
36 - A Reforma nos Países Baixos
37 - A Reforma na Escócia, Alemanha e Hungria

48 - Restauração
49 - Revolução
50 - Declínio Religioso no começo do século 18
51 - O Reavivamento do Século 18 e seus resultados
52 - Os Pactuantes (Covenanters)
53 - O Século 18 na Escócia
54 - O Presbiterianismo na Irlanda

O Século 19 na Europa
55 - O Catolicismo Romano
56 - O Protestantismo na Alemanha, França, Holanda, Suíça, Escandinávia e Hungria
57 - O Movimento Evangélico na Inglaterra
58 - O Movimento Liberal
59 - O Movimento Anglo-Católico
60 - As Igrejas Livres
61 - As Igrejas na Escócia: despertamento, descontentamento e cisão
62 - As missões e o cristianismo europeu

O Século 20 na Europa
63 - História Política até 1935
64 - O Catolicismo Romano
65 - O Protestantismo no Continente
66 - A Igreja da Inglaterra
67 - As Igrejas Livres 
68 - A Escócia
69 - A Igreja Ortodoxa Oriental
70 - Outros países orientais
71 - O Movimento Ecumênico

O cristianismo na América
72 - As primeiras tentativas
73 - As Treze Colônias
74 - Reconstrução e reavivamento após a Guerra da Independência
75 - O Século 19 até 1830
76 - 1830 - 1861
77 - 1861 - 1890
78 - 1890 - 1929
Tecnologia do Blogger.