58 - O Movimento Liberal

Thomas Arlnold
Um dos líderes do movimento liberal
2. O Movimento Liberal

Um movimento teológico progressivo
O principal objetivo da Igreja Liberal ou "Igreja Larga" foi a procura, a indagação de uma melhor compreensão da verdade religiosa.

No Começo do século houve um reavivamento quanto ao estudo teológico, ocasionado principalmente pela influência da teologia e da filosofia alemãs.

Homens realmente cultos dedicaram-se com entusiasmo ao estudo da Bíblia, da história eclesiástica, da doutrina cristã e de tudo quanto se relacionasse com a teologia. 

O espírito dessas pesquisas foi um forte desejo da verdade e um anseio intenso de se livrar das velhas ideias que não fossem provadas verdadeiras. Em uma palavra, foi um movimento teológico progressivo.


Ênfase quanto ao lado prático da religião
Seus líderes, todavia, eram todos muito zelosos e exigentes quanto ao lado moral da religião. (1) Eles defendiam um maior conhecimento da verdade evangélica para que por esse conhecimento se alcançasse uma vida cristã mais real.

Alguns deles foram os primeiros a ter uma visão do Cristianismo Social, isto é, que o cristianismo deveria reger a vida comum dos homens, nos negócios e no trabalho, como nas demais relações humanas.

Líderes deste movimento
Alguns líderes desse movimento: F. D. Mauricio, grande teólogo; Thomas Arnold, historiógrafo e mestre de Rugby; Frederico Robertson, o grande pregador, Carlos Kingsley, e os bispos Lightfoot e Westcott. Um dos melhores exemplos do espírito desse movimento foi o Deão Stanley, muito querido e honrado, tanto na Inglaterra como na América.

Os resultados
O Movimento Liberal prosseguiu com muita força durante o século, tanto nas igrejas oficiais como nas livres.

Produziu muitas obras de doutrina e erudição, de pesquisas profundas do pensamento filosófico, e inspirou muito vigor espiritual e cultura à vida religiosa da Inglaterra.

Espalhou e alicerçou a confiança e o princípio de que o cristianismo nada tem a temer quanto ao desenvolvimento da cultura e do pensamento humano.

Em outras terras de língua inglesa, particularmente na Escócia e na América, o movimento exerceu muita influência, ativando o pensamento e as pesquisas em todas as questões religiosas.


Por Robert Hastings Nichols

ÍNDICE


A preparação para o Cristianismo

01 - A contribuição dos Romanos, Gregos e Judeus
02 - Como era o mundo no surgimento do cristianismo

A fundação e expansão da Igreja
03 - Jesus e sua Igreja
04 - A Igreja Apostólica Até o Ano 100

A Igreja antiga (100 - 313) 
05 - O mundo em que a Igreja vivia (100 - 313)
06 - Características da Igreja Antiga (100-313)

A Igreja antiga (313- 590) 
07 - O mundo em que a Igreja vivia (313 - 590)
08 - Características da Igreja Antiga (313-590)

A Igreja no início da Idade Média (590 - 1073) 
09 - O mundo em que a Igreja vivia (590-1073)
10 - Características da Igreja no início da Idade Média 
11 - O cristianismo em luta com o paganismo dentro da Igreja

A Igreja no apogeu da Idade Média (1073 - 1294) 
12 - A Igreja no Ocidente - O papado Medieval - Hildebrando
13a - Inocêncio III
13b - A Igreja Governa o Mundo Ocidental
14 - A guerra da Igreja contra o Islamismo - As cruzadas 
15 - As riquezas da Igreja
16 - A organização da Igreja
17 - A disciplina e a lei da Igreja Romana
18 - O culto da Igreja
19 - O lugar da Igreja na religião
20 - A vida de alguns líderes religiosos: Bernardo, Domingos e Francisco de Assis
21 - O que a Igreja Medieval fez pelo mundo
22 - A igreja Oriental

Decadência e renovação na Igreja Ocidental (1294 - 1517)

23 - Onde a Igreja Medieval falhou
24 - Movimentos de protesto: Cataristas, Valdeneses, Irmãos
25 - A queda do Papado
26 - Revolta dentro da igreja: João Wycliff e João Huss
27 - Tentativas de reforma dentro da Igreja
28 - A Renascença e a inquietude social como preparação para a Reforma

Revolução e reconstrução (1517 - 1648) 
29 - A Reforma Luterana
30 - Como Lutero se tornou reformador
31 - Os primeiros anos da Reforma Luterana
32 - Outros desdobramentos da Reforma Luterana
33 - A Reforma na Suíça - Zuínglio
34 - Calvino - líder da Reforma em Genebra
35 - A Reforma na França
36 - A Reforma nos Países Baixos
37 - A Reforma na Escócia, Alemanha e Hungria

O cristianismo na Europa (1648 - 1800)
43 - A França e a Igreja Católica Romana
44 - A Igreja Católica Romana e a Revolução Francesa
45 - O declínio religioso após a Reforma
46 - O Pietismo
46 - A Igreja Oriental
47 - A Regra Puritana
48 - Restauração
49 - Revolução
50 - Declínio Religioso no começo do século 18
51 - O Reavivamento do Século 18 e seus resultados
52 - Os Pactuantes (Covenanters)
53 - O Século 18 na Escócia
54 - O Presbiterianismo na Irlanda

O Século 19 na Europa
55 - O Catolicismo Romano
56 - O Protestantismo na Alemanha, França, Holanda, Suíça, Escandinávia e Hungria
57 - O Movimento Evangélico na Inglaterra
58 - O Movimento Liberal
59 - O Movimento Anglo-Católico
60 - As Igrejas Livres
61 - As Igrejas na Escócia: despertamento, descontentamento e cisão
62 - As missões e o cristianismo europeu

O Século 20 na Europa
63 - História Política até 1935
64 - O Catolicismo Romano
65 - O Protestantismo no Continente
66 - A Igreja da Inglaterra
67 - As Igrejas Livres 
68 - A Escócia
69 - A Igreja Ortodoxa Oriental
70 - Outros países orientais
71 - O Movimento Ecumênico

O cristianismo na América
72 - As primeiras tentativas
73 - As Treze Colônias
74 - Reconstrução e reavivamento após a Guerra da Independência
75 - O Século 19 até 1830
76 - 1830 - 1861
77 - 1861 - 1890
78 - 1890 - 1929

Tecnologia do Blogger.