Apocalipse 6.7-8 - O 4° Selo - O Cavalo Amarelo: Pestilência



Por Ray Summers 

Apocalipse 6.7-8
7 - Quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizendo: Vem!
8 - E olhei, e eis um cavalo amarelo e o seu cavaleiro, sendo este chamado Morte; e o Inferno o estava seguindo, e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra para matar à espada, pela fome, com a mortandade e por meio das feras da terra.

Abrindo-se o quarto selo, a chamado da quarta criatura vivente, surge em cena hedionda figura. Um cavalo amarelo, pálido, lívido. Seu nome é Morte; e o Hades, a região dos mortos, vem atrás dele para apanhar sua presa. 

Foi-lhes dado poder sobre a quarta parte da terra, podendo matar os seus habitantes por todos os modos concebíveis. Vemos aqui o terrível efeito da peste que sempre vem depois da guerra e da fome. 



Ela assolara muitas vezes a Ásia Menor, e podia facilmente destruir mais vidas do que a própria conquista, ou a guerra, ou a fome, ou as feras bravias. É um meio rápido de retribuir o mal, e que está nas mãos da justiça divina. 

Este julgamento é parcial, pois que se estende apenas a "um quarto da terra". Mas consegue deixar forte impressão de horror a visão deste cavalo que tem a lívida cor dos cadáveres, cavalgado pela Morte, e tendo atrás de si o Túmulo que vai ruidosamente recolhendo os corpos que ela mata. (D. Smith, The Disciple's Commentary, V, 629, e Moffatt, Expositor's Greek Testament, V, p. 390.)

Tudo o que foi apresentado — a conquista militar, a guerra, a fome e a peste — são forças de que Deus pode lançar mão para destruir os opressores do seu povo. Que os seus cristãos, pois, criem coragem. Sua causa de modo algum está perdida.

ÍNDICE