Apocalipse 6.7-8 - O 4° Selo - O Cavalo Amarelo: Pestilência



Por Ray Summers 

Apocalipse 6.7-8
7 - Quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizendo: Vem!
8 - E olhei, e eis um cavalo amarelo e o seu cavaleiro, sendo este chamado Morte; e o Inferno o estava seguindo, e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra para matar à espada, pela fome, com a mortandade e por meio das feras da terra.

Abrindo-se o quarto selo, a chamado da quarta criatura vivente, surge em cena hedionda figura. Um cavalo amarelo, pálido, lívido. Seu nome é Morte; e o Hades, a região dos mortos, vem atrás dele para apanhar sua presa. 

Foi-lhes dado poder sobre a quarta parte da terra, podendo matar os seus habitantes por todos os modos concebíveis. Vemos aqui o terrível efeito da peste que sempre vem depois da guerra e da fome. 

Ela assolara muitas vezes a Ásia Menor, e podia facilmente destruir mais vidas do que a própria conquista, ou a guerra, ou a fome, ou as feras bravias. É um meio rápido de retribuir o mal, e que está nas mãos da justiça divina. 

Este julgamento é parcial, pois que se estende apenas a "um quarto da terra". Mas consegue deixar forte impressão de horror a visão deste cavalo que tem a lívida cor dos cadáveres, cavalgado pela Morte, e tendo atrás de si o Túmulo que vai ruidosamente recolhendo os corpos que ela mata. (D. Smith, The Disciple's Commentary, V, 629, e Moffatt, Expositor's Greek Testament, V, p. 390.)

Tudo o que foi apresentado — a conquista militar, a guerra, a fome e a peste — são forças de que Deus pode lançar mão para destruir os opressores do seu povo. Que os seus cristãos, pois, criem coragem. Sua causa de modo algum está perdida.

ÍNDICE

Tecnologia do Blogger.