1 João: Algumas certezas do cristão (5)



1 João 2.12-14

Há algum tempo atrás era veiculado no Canal Futura uma propaganda que dizia o seguinte: “Até hoje os cientistas discutem como a vida começou, se a opção sexual é definida pela genética e por que você boceja quando alguém boceja. Os biólogos querem entender como os pássaros migram, e os nutricionistas, se o ovo faz mal à saúde. Como você pode ver, não são as respostas que movem o mundo, são as perguntas”.



Isso não se aplica ao cristão, porque o que o faz caminhar para frente não são suas dúvidas, mas sim, suas certezas. Certezas estas que são mencionadas por João nesses versículos. 

Já vimos que os gnósticos diziam ter um conhecimento especial de Deus – eram pessoas “iluminadas”. Por conta disso, João fala de algumas verdades centrais do evangelho e propõe alguns testes para desmascarar esses falsos mestres. O primeiro teste é teste moral – quem conhece a Deus, não vive pecando. O segundo, é o teste social – quem conhece a Deus, ama o próximo e lhe socorre em suas necessidades. 

Estes dois testes, poderiam desanimar aqueles cristãos. Eles poderiam perguntar: “Como passar nesses testes”? Pensando nisso, João interrompe suas advertências para dar uma palavra de conforto. Note que nos v. 12 e 13, João fala de filhinhos, pais e jovens. Não se trata aqui de três grupos diferentes, mas é uma referência à igreja como um todo. Ora ele usa “filhinhos”, ora “pai” e ora “jovens” por conta de seu propósito. Nesse propósito, ele fala de três certezas que o crente deve ter. São elas:

1. Todo cristão foi perdoado e acolhido por Deus (v.12). 
João escreve: “Filhinhos, eu vos escrevo, porque os vossos pecados são perdoados, por causa do seu nome”.

Essa é a primeira verdade na qual o cristão deve se apegar. Ele foi perdoado por Deus e é recebido como filho por meio de Jesus Cristo. O objetivo de João aqui é livrar aquelas pessoas de confusões e incertezas por causa do ensino dos gnósticos.

O perdão não é fruto de uma experiência esotérica, mas está no nome de Jesus. Isso não quer dizer que o nome de Jesus tenha um poder mágico. No mundo bíblico antigo, o nome se refere à própria pessoa. Portanto, o perdão é concedido por causa da pessoa de Jesus. Com isso devemos refletir em verdades fundamentais do cristianismo:

1. Nunca dependa dos seus sentimentos para crer que foi perdoado. O perdão está garantido por causa do que Cristo fez na cruz morrendo pelos pecados e concedendo o perdão.

2. Nunca dê ouvidos para qualquer ensino que negue ou ponha em dúvida o perdão e a misericórdia de Deus sobre seus filhos. 

3. Nunca tente compensar os seus fracassos (pecados cometidos) com promessas, sacrifícios e votos. O perdão não é concedido pelo que fazemos, mas sim no que Cristo fez por nós. 

2. Todo cristão está qualificado para transmitir o evangelho (v.13a). O apóstolo afirma: “Pais, eu vos escrevo, porque conheceis aquele que existe desde o princípio”.

O cristão é como um pai que tem conhecimento e transmite isso aos seus filhos. De forma semelhante, o cristão tem o conhecimento de Deus e assim está pronto para transmitir o que aprendeu ao próximo. 

João mostra que o Deus que aqueles cristãos conheceram é o Deus que existe desde antes da eternidade. Não é o deus do gnosticismo que só pode ser conhecido por meio de visões etc. Antes, é o Deus cuja glória é vista na criação, que se revelou em Jesus e por meio do Evangelho. É o Deus que traz libertação e perdão.

Esse ensino nos faz refletir nos seguintes princípios.

1. Todo cristão está habilitado para falar: Ninguém precisa ser pastor, presbítero, missionário para poder falar de Deus. Qualquer pessoa que converteu a Cristo tem o conteúdo suficiente para falar do Senhor. 

2. Não confie em sua oratória, confie no Evangelho. A mensagem do Evangelho é simples. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). Essa verdade é suficiente para salvação. Paulo afirmou que o evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o que crê (Rm 1.16). 

3. Todo cristão é vitorioso sobre o Diabo (v. 13b). João complementa: “Jovens, eu vos escrevo, porque tendes vencido o Maligno”. 

Neste ponto, João compara o cristão a um jovem que por causa de sua decisão em rejeitar ao Diabo e todas às suas tentações, obtêm uma vitória semelhante a de Jesus quando resistiu às tentações do Diabo.

A vitória sobre o Diabo se manifesta de diversas maneiras. a) O cristão não vive mais na prática do pecado. b) Não pertence mais ao Diabo. c) O cristão foi libertado do domínio e do poder que o Diabo exerce sobre o mundo (Augustus Nicodemus). Portanto, o cristão é vitorioso por causa de Cristo e não por causa de uma experiência mística. 

A partir disso, aprendemos lições importantes a respeito às investidas de Satanás contra os cristãos. 

1. Estamos seguros contra o acusador. “Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica” (Rm 8.33). 

2. Estamos seguros nas mãos do Filho por causa de sua morte, ressurreição, ascensão e intercessão. “Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós” (Rm. 8. 34). Em Colossenses lemos: E, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre eles na cruz (Cl 2.15) (Cl 2.15).

Conclusão
O cristão é movido pela certeza que vem da Escritura. A Bíblia afirma que todo cristão foi perdoado e acolhido por Deus. A Escritura declara que todo cristão está habilitado para falar de seu Senhor. A Lei do Senhor revela que o cristão é vitorioso contra Satanás.

Por mais que a ciência, circunstâncias, pessoas, pensamentos e ensinos tentem retirar de nós essas certezas, Deus é fiel, Sua lei é perfeita, Seu amor é eterno, suas promessas são imutáveis, seus planos não podem ser cancelados. Descansemos em nosso Senhor e caminhemos com Ele.


Mais sermões em 1 João
01 - A encarnação de Cristo - 1 João 1-4
05 - Algumas certezas do cristão - 1 João 2.12-14
07 - Os Anticristos - 1 João 2.18-26
08 - Permanência - 1 João 2.27-29
11 - O amor ao próximo (1) - 1 João 3.11-16
12 - O amor ao próximo (2) - 1 João 3.17-21
16 - A comunhão com Deus - 1 João 4.13-16
17 - O amor a Deus - 1 João 4.17-21

Tecnologia do Blogger.