Tempos difíceis - A irreverência


Charge via Rabix

Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão... irreverentes - 2 Timóteo 3.1,2

Geralmente ouvimos a expressão ‘irreverência’ em chamadas televisivas para programas de humor. Talvez por isso a maioria das pessoas dá a esta palavra uma conotação positiva. Porém, consultando o dicionário, verificamos que é exatamente o oposto.

Irreverência significa a ausência de reverência, ou mesmo desrespeito. Esta é a conotação da palavra usada em 2 Timóteo 3.2. Os irreverentes são aqueles que não possuem respeito por aquilo que é sagrado. No texto, a aplicação se amplia também para representar a atitude de impiedade e incredulidade.


Os últimos dias serão assim, afirma Paulo. Tempos onde os homens serão desrespeitosos, insolentes e ímpios - especialmente no tocante a Deus. Não há mais temor, e a oposição ao evangelho que antes era velada agora é escancarada, agressiva e explícita.

Na vanguarda deste movimento temos as pessoas que controlam os meios de comunicação. Jornalistas, artistas famosos, prefeitos, governadores, presidentes, que na sua arrogância e usando do poder de influência tecem opiniões ferrenhas contra a fé em Jesus. Inclua também nesta lista de irreverentes os filmes, quadrinhos, novelas e desenhos que colocam o cristianismo como algo inventado ou com uma mensagem superficial.

Exemplo disso é o infame “A última tentação de Cristo” (1988) - o filme chocou ao afirmar que Jesus era casado e tinha filhos. Também a ficção travestida de ciência, “O código de Da Vinci”, vai pela mesma linha, questionando o cristianismo, mas faz isso usando de fontes e fatos que ocorreram apenas na imaginação do autor.

Nosso jovens sofrem nas faculdades e escolas, pois a maior parte dos professores questionam e tentam ridicularizar quem segue a Jesus. E o povo evangélico, quando aparece em alguma novela ou filme é sempre no estereótipo do hipócrita e do mau exemplo.

Estas coisas todas foram previstas pela Espírito Santo. Portanto, diante da irreverência do mundo moderno, o cristão deve se ater a dois pensamentos:

O primeiro é que a Palavra de Deus compara o ímpio como a palha jogada ao vento. Por mais que haja arrogância contra as coisas de Deus, tais pessoas não passarão do dia do juízo. O seu caminho, por mais intelectualizado, moderno e aparentemente poderoso, conduzirá à sua própria ruína. (Salmo 1.4-6)

O segundo pensamento é viver de fato o que ensina a Bíblia em Tito 2.12 -“renunciando à impiedade e às paixões mundanas, vivamos no presente mundo sóbria, e justa, e piamente”.

Em uma sociedade em que falar sobre Deus significa ser tachado de ignorante, conservador e ser discriminado, não esqueçamos que vivemos tempos difíceis. Tempos que exigem de nós sobriedade, piedade, e justiça, para lutarmos firmes defendendo a verdade do evangelho.

--------------------------------------------------
Andrei de Almeida Barros é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Em 1998 trabalhou como missionário em Portugal. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e ordenado pastor em 2004.
É fundador e editor do site www.semeandovida.org
Tecnologia do Blogger.