Sociais

Tempos difíceis - A calúnia

Charge via Rabix

"Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, 
pois os homens serão... caluniadores..." - 2 Timóteo 3.1,3 


De acordo com o dicionário, calúnia significa acusação falsa que fere a honra ou a reputação de alguém; é uma invenção ou mentira sobre a vida de uma pessoa. Mas quando olhamos para a Bíblia, o significado da palavra calúnia ganha profundidade e gravidade maior. 

Em 2 Timóteo 3.3 e em vários outros textos trata-se palavra grega diabolos. Reconhece esta palavra? Sim, é a mesma que nós também traduzimos comodiabo. Além de todos os sentidos que possui no português essa palavra no grego significa caluniador, ou aquele que calunia. 

O nome do diabo já o define como caluniador e mentiroso, pois desde o princípio ele é o falso acusador. No Jardim do Éden o diabo mentiu ao afirmar que o ser humano não morreria ao desobedecer a Deus (Gênesis 3.4). Ele questionou diante de Deus as motivações e a honra de Jó (Jó 9.11).


Quando Jesus foi jejuar no deserto o diabo o tentou de várias formas, na vã esperança de desviar o próprio Deus de sua missão de salvar pecadores na cruz. (Lucas 4.1-13). “Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira”, diz Jesus em João 8.44. 

Portanto quem usa da calúnia está se comportando como o diabo. E apesar da seriedade e consequências, é um recurso muito utilizado por pessoas que querem vencer um concorrente não pela sua competência e honestidade, mas desejam derrubar, pisar, destruir e humilhar. No meio político isso é conhecido como ‘jogo sujo’, quando notícias falsas são plantadas para mudar a preferência do eleitorado. 

E quanto disso não termina literalmente em morte? Foi o que aconteceu com Nabote, que possuía uma plantação de uvas, herança de seus pais. Ele não queria vendê-la a ninguém, nem ao rei Acabe. O rei, influenciado por sua esposa Jezabel, fez um arranjo para que duas testemunhas caluniassem contra Nabote perante os juízes da cidade. O homem foi apedrejado e morto injustamente, vítima de calúnia (1 Reis 21.13). Até mesmo Jesus foi alvo de calúnias para isso justificasse a pena de morte na cruz. (João 6.70 – Mateus 26.59-60) 

Vivemos tempos difíceis, onde muitos estão agindo como o diabo. São caluniadores, fofoqueiros, destrutivos e usam suas línguas para matar ao próximo e envenenando-o aos poucos. Lembremos que “toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo” – Mateus 12.36. A justiça dos homens pode ser falha, porém “horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo”. – Hebreus 10.31. 

E você como tem usado sua língua? Para transmitir coisas boas ou más? Para ajudar as pessoas ou destruí-las? Lembre-se que a maneira como usamos a língua mostra o que há no nosso coração (Lucas 6.45) e de quem de fato somos filhos. (João 8.44 – João 14.6).

--------------------------------------------------
Andrei de Almeida Barros é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Em 1998 trabalhou como missionário em Portugal. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e ordenado pastor em 2004.
É fundador e editor do site www.semeandovida.org
Google Plus