A igreja (6)


Em nossas últimas reflexões temos abordado assuntos relacionados à igreja de Cristo. Na esteira desse propósito, refletiremos agora sobre um tema difícil, considerando tanto sua abordagem quanto a respectiva prática. Entretanto, é de extrema importância, consistindo, inclusive, em marca de uma igreja verdadeira. Trata-se da disciplina eclesiástica e, mais especificamente, seus propósitos.


1. Restauração e reconciliação com o cristão
Esse, certamente é o principal objetivo da disciplina. O pecado tanto impede a comunhão com a igreja quanto com Deus e, por conta disso, deve ser tratado. Da mesma forma como um pai disciplina seus filhos (Pv. 13.24), Deus, nosso pai, disciplina seus filhos, a quem ele ama (Hb 12.6; Ap 3.19). Assim também a igreja, no exercício da disciplina, age com amor para trazer de volta um irmão que tenha se desviado.

2. Impedir que o pecado se espalhe
Outro propósito da disciplina cristã é impedir que o pecado influencie o comportamento dos outros irmãos. Paulo exortou os cristãos de Corinto para que expulsassem da igreja o homem que vivia em incesto (1 Co 5.2). Em seguida, ele afirma que “um pouco de fermento leveda a massa toda” (1 Co 5.6,7). 

Seu objetivo, aqui, é levar os líderes a refletirem sobre o fato de que, caso uma providência não fosse tomada, outros poderiam pensar que tal pecado não era tão grave, e, assim, poderiam cometer pecados semelhantes. Vários outros textos nos falam sobre a necessidade da disciplina, a fim de que não haja influência negativa sobre os demais cristãos (cf. Hb 12.15; 1 Tm 5.20; Gl 2.11).

3. Proteger a pureza da igreja
Segundo Wayne Grudem, “o terceiro propósito da disciplina eclesiástica é que a pureza da igreja deve ser protegida, para que Cristo não seja desonrado”. A Bíblia diz que Paulo ficou consternado com o fato de que os irmãos da igreja de Corinto levavam uns aos outros aos tribunais diante dos descrentes (1 Co 6.6). 

Ele também advertiu a igreja de Roma, pois os judeus, por causa de seu mau comportamento, levavam os incrédulos a blasfemar o nome de Deus (Rm 2.24). Portanto, essa é uma questão séria, de sorte que, se os líderes não agirem, Deus mesmo disciplinará os rebeldes (1 Co 11.27-34; Ap 2.14-15; Ap 2.20).

Conclusão
A disciplina é um assunto delicado. Apesar disso, deve ser estudada e praticada como ensinamento bíblico, isto é, como uma ordenança. A ordem a respeito da disciplina tem propósitos bem definidos. Conforme verificamos, a disciplina visa a restauração do pecador, o impedimento de que o pecado se espalhe e a proteção da pureza da igreja. Que o Senhor conceda à sua igreja seriedade e sabedoria a respeito deste assunto.

Por Carlos Eduardo Pereira de Souza

ÍNDICE
A igreja (1) - Natureza, visibilidade e localização
A igreja (2) - Pregação, sacramentos e disciplina
A igreja (3) - Adoração, evangelização, misericórdia e edificação
A igreja (4) - Doutrina, santidade e coerência
A igreja (5) - Características de uma igreja pura
A igreja (6) - Restauração, pecado e proteção
A igreja (7) - A Santa Ceia (1)
A igreja (8) - A Santa Ceia (2)
A igreja (9) - Interpretações da Santa Ceia
A igreja (10) - Quem deve participar da Ceia
A Igreja (11) - Adoração

Tecnologia do Blogger.