Sociais

A Igreja (4)



Já vimos que apesar do grande número de instituições que recebem o nome de igreja, na verdade nem todas são igreja de fato. Por outro lado, existem verdadeiras igrejas e a essas é ordenado que zelem pela pureza. Na presente reflexão, abordaremos alguns aspectos que envolvem a pureza da igreja. 

Vejamos:



1. Pureza doutrinária

Heresias sempre rondaram a igreja. Se algum ensino errôneo passasse a fazer parte do ensino nas igrejas, o evangelho pregado não mais seria puro. Portanto, há na Bíblia uma série de advertências para que os cristãos não se deixem ser seduzidos por todo vento de doutrina. 

Paulo, ao escrever para as igrejas da Galácia, pontifica: “Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema” (Gl 1.9). O apóstolo adverte Timóteo através das seguintes palavras: “Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o aprendeste” (2 Tm 3.14).


2. Santidade de vida
Esse é outro aspecto que envolve a pureza da igreja. Todos os crentes foram resgatados do pecado. Aliás, Paulo não apenas fala do resgate do pecado, mas afirma que todos os crentes estão mortos para o pecado. Em Rm 6.11, ele exorta: “Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus”. Uma vez que os cristãos estão mortos para o pecado, devem viver de forma que resplandeçam como luzeiros em meio a uma geração pervertida e corrupta (Fp 2.15).


3. Conformidade com a palavra
Esse elemento está ligado ao primeiro. O meio através do qual o crente pode viver em santidade de vida é, mediante o auxílio de Espírito Santo, andar em conformidade com a Escritura. 

O salmista escreve: “De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra” (Sl 119.9). A palavra do Senhor revela seu caráter e sua perfeição, de sorte que,observando a Lei, o cristão será um imitador de Deus. Ademais, imitar a Deus é uma ordem. Paulo advertiu: “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados”. (Ef 5.1).


Conclusão
A igreja deve zelar incondicionalmente pela pureza. Essa é a característica de uma verdadeira igreja. De acordo com o que vimos, a pureza caracteriza-se pelo zelo doutrinário e pela vida de santidade de seus membros, os quais devem andar em conformidade com a lei de Deus. Que a graça divina transborde sobre a vida de todos os santos, a fim de que compreendam a responsabilidade de manter a pureza da igreja.

------------------------------------
Carlos Eduardo Pereira de Souza  é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2012. Mestrado em Novo Testamento pelo Centro de Pós Graduação Andrew Jumper em 2013. Pós-graduando em docência do ensino superior, pela Universidade Paulista.

Google Plus