Sociais

A justificação (1)



Nesta breve reflexão, abordaremos um tema de absoluta importância no cristianismo – a justificação. Wayne Grudem assim a define: “É um ato instantâneo e legal da parte de Deus pelo qual ele considera os nossos pecados perdoados e a justiça de Cristo como pertencente a nós e declara-nos justos à vista dele”. 

Diante do exposto, passaremos a considerar alguns aspectos referentes à justificação.


1. É posterior à fé
 O apóstolo Paulo ensina que a justificação é um ato que ocorre após a fé em Cristo. Em Rm 3.26, ele escreve que Deus é “justificador daquele que tem fé em Jesus”. Além disso, o apóstolo ensina que não há nada que o homem faça que possa ser recebido por Deus senão pela fé. Ele afirmou que “o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Cristo Jesus (Gl 2.16). Finalmente, ele escreve: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo” (Rm 5.1).

2. É uma declaração legal
O sentido mais comum do verbo “justificar” no Novo Testamento é declarar justo. Esse sentido pode ser visto em Romanos 8. Aqui, Paulo estabelece um contraste entre justificação e condenação. Ele ensina: “Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará?” (v. 33). Se, por um lado, condenar alguém significa declará-lo culpado, por outro, a justificação, nessa passagem, significa que alguém foi declarado inocente, uma vez que nossos pecados foram punidos em Cristo.


3. Nos torna justos diante de Deus
A justificação é o meio pelo qual Deus nos faz justos diante Dele. Isso não quer dizer que Ele remova de nós nosso caráter, mas que nos vê como justos pelos méritos de Cristo. Por conta disso, não temos nenhum tipo de pena a pagar, referente ao passado, nem no tempo presente nem no porvir. Paulo declarou: “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Rm 8.1). 

Essa nova condição, pelos méritos de Cristo, é exibida em Rm 5.19, onde Paulo declara: “Porque como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos”.

Conclusão
A justificação é vital na obra da redenção. Ela somente pode ser experimentada pela fé em Cristo. Além disso, é uma declaração legal de Deus, através da qual, pelos méritos de Cristo, somos tornados justos. Ao Senhor nossa adoração, nossa gratidão e nosso serviço.


------------------------------------
Carlos Eduardo Pereira de Souza  é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2012. Mestrado em Divindade com concentração no Novo Testamento pelo Centro de Pós Graduação Andrew Jumper em 2013. Pós-graduando em docência do ensino superior, pela Universidade Paulista.

Google Plus