A justificação (2)


 

Na reflexão anterior tratamos de alguns aspectos relacionados à doutrina da justificação. Conforme visto, ela ocorre após a fé, é uma declaração legal de Deus a nosso respeito e, finalmente, é o ato através do qual o Senhor nos torna justos diante Dele. Na presente meditação, falaremos sobre outros aspectos dessa doutrina.


1. A justificação é a imputação da justiça de Cristo a nós
Imputar significa creditar, colocar na conta. Nesse sentido, a justiça de Cristo tornou-se nossa, conforme Rm 5.17. Quando Adão pecou, seu pecado foi imputado (creditado) a nós. Quando Cristo morreu pelos nossos pecados, é porque nossos pecados foram creditados a Ele. Finalmente, na justificação, Deus credita a justiça de Cristo em nossa conta (1 Co 1.30). O próprio apóstolo Paulo declarou que a justiça que ele tinha não era dele, mas de Cristo Jesus (Rm 3.21-22).

2. A justificação é fruto da graça de Deus
A Bíblia deixa claro que o ser humano é totalmente incapaz de ser merecedor do favor de Deus. Diante de tal cenário, o único modo pelo qual o homem pode ser declarado justo é através da graça divina (Ef 2.8,9; Tt 3.7). Sendo assim, a graça de Deus é o motivo pelo qual Ele nos justifica. Wayne Grudem afirma: “Deus não tem obrigação alguma de imputar nossos pecados a Cristo ou de imputar a justiça de Cristo a nós; foi unicamente por causa de seu favor imerecido que Ele fez isso”.

3. A justificação ocorre por meio da fé em Cristo
Segundo explica Grudem, “a fé é aquela atitude do coração que é o oposto exato de depender de si mesmo”. Ele continua, considerando que, quando vamos com fé, dizemos: “Eu me entrego! [...] Eu sei que jamais me tornarei por mim mesmo justo diante de Deus. Portanto, Jesus, eu confio em ti e dependo de ti completamente para me conceder uma posição justa diante de Deus”. A justificação pela fé e não pelas obras é, portanto, repetidamente ensinada na Escritura. Paulo escreveu que “ninguém será justificado diante dele por obras da lei” (Rm 3.20) e reitera essa mesma ideia em Gl 2.16; 3.11; 5.4.

Conclusão
A justificação é parte integrante da redenção de Deus. Ser justificado quer dizer que Deus colocou em nossa conta a justiça de Cristo. Tal ato é fruto da graça e somente pode ser obtido através da fé em Cristo. Que a consciência de tal atitude divina produza em nós contínua gratidão, adoração e nos motive servi-lo com amor e fervor.

Por Carlos Eduardo Pereira de Souza

Índice - Justificação
1 - É posterior à fé; um ato legal; nos torna justos diante de Deus
2 - A Justiça de Cristo tornou-se nossa; fruto da graça por meio da fé
Tecnologia do Blogger.