Redenção


...no qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados - Efésios 1:7

Há muitas palavras que gostamos de usar: amor, paz, bondade, etc. E quando nos lembramos a respeito do que Jesus Cristo fez por nós na cruz, geralmente usamos a palavra “salvação”. 

Mas há outra palavra também cheia de significado que acabamos não usando muito. É a que Paulo usa em Efésios 1.7, a palavra “redenção”. E embora salvação e redenção sejam ligadas ao mesmo sentido, a segunda é mais específica, pois nos apresenta os meios pelos quais a salvação é realizada, ou seja, pelo pagamento de um resgate.

A origem desse sentido se encontra no Antigo Testamento. Naquele tempo, tantos os bens materiais assim como a própria vida, podiam ser redimidos ou resgatados perante o pagamento apropriado. (Levítico 25.25-27) 

Se, por exemplo, alguém perdesse a sua herança por causa de suas dívidas ou mesmo vendesse a si mesmo tornando-se um escravo, ele e os seus bens poderiam ser recuperados caso algum parente próximo pagasse o dinheiro do resgate. 

A redenção também ocorre no nível do relacionamento entre Deus e nós. O povo de Israel, por exemplo, era um povo essencialmente redimido. Tinha sido escravo no Egito e no exílio. A própria libertação que Deus efetuou ao povo no Egito e em momentos posteriores era caracterizada como um ato de redenção. (Êxodo 6.6)

Redenção então significa “libertação”, seja da escravidão ou do cativeiro, através do pagamento de um preço ou um resgate. 

E aqui chegamos a uma questão essencial para o entendimento da fé cristã. Se precisamos ser redimidos é porque estamos escravizados a algo. E a Bíblia chama isso de “pecado”. O pecado é essa nossa tendência em desobedecer a Deus e errar os alvos que ele colocou para as nossas vidas.

O pecado é algo muito mais forte que podemos imaginar. O pecado é tão forte que nenhuma pessoa neste mundo, por mais bem intencionada que esteja, consegue vencer por si mesma - uma hora o pecado acontece. O pecado faz parte da nossa natureza. (Salmo 51.5)

Uma vez que desobedecemos e descumprimos os propósitos de Deus, merecemos a condenação. E a sentença tem um alto preço: a nossa própria vida. Afinal, o salário do pecado é a morte; e o pecado é um bom patrão, ele paga em dia e com salário cheio! (Romanos 6.23).

A nossa situação necessitava uma ação séria da parte de Deus. Esta ação se expressa em Jesus que, derramou o seu sangue, ou seja, deu a sua própria vida e com ela nos resgatou do pecado. (Hebreus 9.8)

Por isso nenhuma palavra no vocabulário cristão merece ser considerada mais preciosa do que “redenção”. A palavra redenção nos faz lembrar que o filho de Deus comprou a nossa salvação por um preço alto e pessoal – Jesus sacrificou a si mesmo pelos nossos pecados pessoais a fim de nos libertar!

--------------------------------------------------
Andrei de Almeida Barros é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Em 1998 trabalhou como missionário em Portugal. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e ordenado pastor em 2004. Atualmente cursa Licenciatura em História. É fundador e editor do site www.semeandovida.org
Tecnologia do Blogger.