O bom exemplo de mulher


1 Timóteo 3.11

Em seus escritos, Paulo deu várias orientações para todas as classes de pessoas. Logo, ele não se esqueceu da mulher, em função de sua importância na igreja e na família. Isso pode ser comprovado nessa passagem na carta enviada ao jovem pastor Timóteo. Essa epístola foi escrita entre os anos 62 – 64. Nessa época a igreja havia se tornado uma organização mais complexa.


A liderança da igreja de Éfeso, comunidade pastoreada por Timóteo, era composta pelo pastor e presbíteros, além dos diáconos. No capítulo 3, Paulo, preocupado com o bom andamento do trabalho da igreja, deu importantes orientações a respeito dos princípios que deveriam ser observados para a escolha de líderes. 

Nessa lista de orientações, ele incluiu as mulheres (v. 11). Essas mulheres, provavelmente eram as assistentes dos diáconos que exerciam o trabalho de misericórdia (cuidado com órfãos, viúvas, enfermos).[1] Para cumprir bem com esse trabalho, tais mulheres deveriam cultivar algumas virtudes para que pudessem estar habilitadas para o desenvolvimento do trabalho.

Mas virtudes listadas por Paulo, não eram e não são exclusividades de mulheres que ocupam uma função semelhante àquelas mulheres, antes, devem ser observadas por todas as mulheres cristãs. Assim, elas serão exemplos de seres humanos, de servas e de mães. Vejamos as virtudes listadas por Paulo nesse versículo.

1. Respeitáveis. 
Por respeitáveis Paulo quer dizer que essas mulheres deveriam ser sinceras tanto nas palavras quanto no comportamento. Suas palavras precisavam transmitir decência e suas atitudes deveriam ter boa moral. Em um ambiente em que o desrespeito pelo próximo e o apreço por aquilo que não tinha importância eram coisas consideradas normais, as mulheres que eram assistentes dos diáconos deveriam se destacar pela boa conduta.

Isso se aplica igualmente a todas as mulheres. Em fazendo assim, elas não somente serão tidas como bom exemplo pela sociedade, como também pelos filhos. Um dos meios mais eficazes de educação de filhos é o exemplo. Diante disso, algumas perguntas que vêm à baila: 

Como convertidas a Cristo, você, mulher, tem sido exemplo de pessoa respeitável para os filhos? Que tipo de palavras tem saído pelos seus lábios? São palavras que edificam ou que ferem e ofendem? Suas atitudes têm evidenciado que você é cristã ou tem denunciado que você é uma fraude?


2. Que controlem a língua. Essa é outra virtude apontada por Paulo – “que não sejam maldizentes (caluniadoras)”. Calúnia quer dizer mentira, acusação falsa. São obras que definem a palavra Diabo. Diabo é nosso acusador (Ap 12.10), o pai da mentira (Jo 8.44). 

Com isso Paulo orienta que as assistentes dos diáconos não poderiam percorrer as igrejas traficando escândalos e espalhando rumores. 

O princípio aprendido aqui é que as mulheres não podiam fazer comentários sobre pessoas e sobre fatos que desconheciam. E mesmo que conhecessem, deveriam ser prudentes no uso das palavras – ou seja, tinham que ser éticas. Naturalmente, essa virtude deve ser cultivada por toda mulher. E sendo mãe, deve ser exemplo disso para a educação dos filhos. 

A partir dessa orientação de Paulo, algumas perguntas se fazem relevantes para que seja verificado o bom exemplo dentro do lar com respeito à língua. Que tipos de assunto são tratados por você na hora da refeição? São palavras edificantes ou são assuntos que envolvem o próximo? São julgamentos ou são palavras que exalam graça e perdão? Em que você se concentra para falar? Na vida do outro? Ou em assuntos que dizem respeito à sua família? 

Outro ponto importante - Que tipos de conversas você tem com adultos perto de seus filhos? Lembre-se que seus filhos estão atentos àquilo que você fala. São conversas que tratam da vida do outro? É importante que saibamos disso: “O melhor remédio para a fofoca é não passar para frente aquilo que se ouve”. 

3. Temperantes. 
Paulo, a seguir fala da temperança. Ser uma mulher temperante significa ser sóbria, controlada. A mulher temperante é racional, discreta, ou seja, não se deixa ser dominada por impulsos. Nem mesmo aceita qualquer colocação que possa espalhar rumores e falsos ensinos. Em outras palavras, é uma pessoa que pensa antes de agir. Esse deveria ser um princípio observado pelas assistentes dos diáconos. No entanto, é regra a ser observada por todas as mulheres.

Mulheres que pensam antes de agir tendem acertarem as escolhas, as palavras, as orientações. Mulheres que pensam antes de fazer qualquer coisa demonstram para seus filhos que tudo na vida deve ser feito após reflexão. Fazer as coisas por impulso é obedecer ao coração. E de acordo com a Bíblia, o coração é enganoso e perverso (Je 17.9). Jesus ensina: “Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias” (Mt 15.19). 

Portanto, uma pergunta para refletir: Mãe, você tem sido bom exemplo para os seus filhos na virtude de pensar antes de falar ou fazer qualquer coisa?

4. Fiéis. 
Paulo encerra a lista de virtudes dizendo que as mulheres devem ser “fiéis em tudo”. Nessa passagem ser fiel significa que sua obediência a Deus faz com que goze de boa reputação dentro e fora da igreja (v. 7). Quer dizer uma pessoa de “uma só palavra”, isto é, que não fale uma coisa na frente de uma pessoa e em suas costas diga outra (v.8). 

A fidelidade significa ser madura como pessoa e como serva (vv.6,10). Ser fiel significa estar com “consciência limpa” (v.9), ou seja, uma pessoa que vigia a si mesma cuidadosamente, fazendo o possível para estar em comunhão com Deus. Em outras palavras, está disposta a vigiar a sua própria vida ao invés de vigiar a dos outros.

Ser fiel em tudo era virtude a ser cultivada pelas assistentes dos diáconos, contudo, deve ser também desenvolvida na vida de todas as mulheres. Assim fazendo, será um exemplo, primeiramente, para seus filhos.

Com isso ficam algumas perguntas para reflexão das mulheres se porventura estão dispostas a serem exemplos para os filhos e cria-los com toda a disciplina. 

Mãe, sua obediência a Deus tem sido um exemplo para seus filhos? Você goza de boa reputação na igreja e fora dela? Você é pessoa de uma só palavra? Você buscado amadurecimento tanto na vida como no serviço a Deus? Sua comunhão com Deus tem sido vista pelo seu filho? Você tem se preocupado a vigiar a si mesma ao invés de vigiar o próximo?


Conclusão

O que toda mãe deve se lembrar é que seus filhos estão de olho em você. Portanto, que exemplo você, mãe, tem dado a eles? Paulo lista pelo menos quatro virtudes que devem ser cultivadas. 

Segundo ele, a mulher deve ser respeitável, necessita dominar a língua, precisa ser temperante e fiel. Pouco adianta ensinar princípios aos filhos se estes não são vistos em sua vida. Há uma frase que diz: Seus atos falam tão alto que não consigo ouvir suas palavras 

Que a graça do Senhor seja transbordante em sua vida a fim de que tais virtudes sejam cultivadas na sua vida de modo que sua vida seja um exemplo para seus filhos. 

Nota
[1] Há mais duas interpretações a respeito dessas mulheres. A primeira é que elas poderiam ser esposas dos diáconos. A segunda advoga em favor da existência de diaconisas. Assume-se a visão que se tratava de assistentes de diáconos com base na tese de William Hendriksen. Além disso, há outros dois motivos; o contexto e a lógica do raciocínio. Em primeiro lugar, o contexto não permite que entendamos que se tratava de esposas (muito embora haja essa possibilidade de tradução), uma vez que as orientações tinham como objetivo dar diretrizes para a escolha de líderes e oficiais (bispos e diáconos). Em segundo lugar, se a orientação visava às mulheres dos diáconos, porque Paulo não deu essa mesma orientação às esposas dos bispos? (cf. HENDRIKSEN, 2001, pp. 164, 169). 

Referências Bibliográficas
ALAND, Kurt et alli. The Greek New Testament. 4ª ed. Germany, United Bible Societies, 1994.
BÍBLIA DE ESTUDO DE GENEBRA. São Paulo e Barueri, Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil. 1999.
HENDRIKSEN, Willian. Comentário do Novo Testamento: Efésios e Filipenses. São Paulo, Cultura Cristã, 2005.
___________________. Comentário do Novo Testamento: 1 Timóteo, 2 Timóteo e Tito. São Paulo, Cultura Cristã, 2001.

------------------------------------
Carlos Eduardo Pereira de Souza  é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2012. Possui Mestrado em Divindade com concentração no Novo Testamento pelo Centro de Pós Graduação Andrew Jumper em 2013.

Tecnologia do Blogger.