Olhe para cima


Um homem achou um tostão na rua (não sabe o que é um tostão? Pergunte pro vô que ele explica) Bem o homem achou um tostão na rua e desde esse dia começou a andar olhando para o chão. Olhando para baixo na esperança de encontrar outros tostões. Tanto olhou para baixo que acabou ficando corcunda.


Na esfera espiritual pode acontecer a mesma coisa. Não olhe muito para baixo, pois aí só se encontram os tostões. Você acabará um corcunda espiritual. Olhe para cima onde Deus está. Cresça para cima. Não cresça para baixo. O que cresce para baixo é cacho de banana e rabo de cavalo, e você não quer ser nem uma coisa nem outra, pois não?

Procure descobrir em você aquele ser criado à imagem e semelhança de Deus e isso você só conseguirá olhando para cima, pensando alto, aproximando seu pensamento de sua fonte de origem que é Deus. Por isso você é Antropos e uma das características desse mesmo nome é poder olhar para cima.

O salmista dizia: “a minha alma tem sede de Deus” e para responder a essa sede de Deus, diz em outro lugar: “elevo os meus olhos para os montes, de onde me virá o socorro. O meu socorro vem do Senhor...”

Deus está num plano superior, Ele se curva para o que se passa nos céus. Então olhe para cima, com cuidado para não tropeçar em alguma pedra no meio do caminho (esta observação é para os que tentarem interpretar ao pé-da-letra as figuras da mensagem). Mas se você tropeçar e cair de joelhos, aproveite, faça uma prece.

--------------------------------------------------
Samuel Barbosa é pastor jubilado da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 1960. Posteriormente graduou-se em Letras, Pedagogia, Supervisão Escolar e Especialização em Língua Portuguesa com produtiva carreira acadêmica. Pastoreou as igrejas presbiterianas de Apiaí, Correias e Itararé entre 1961 e 1962. Foi pastor da Igreja Presbiteriana de Itararé durante 32 anos até sua jubilação. Presidiu o Presbitério de Itapetininga por 22 anos e é pastor emérito das Igrejas Presbiterianas de Itararé e Itaberá. 
Tecnologia do Blogger.