Sociais

Família, presente de Deus



Recentemente pipocaram pela internet mensagens de e-mail conclamando a todos para entrar em um abaixo assinado a favor da família e do direito de expressão. O movimento encabeçado pelo Pr. Silas Malafaia conseguiu colher mais de 200 mil assinaturas onlinecontra o projeto de lei PL 122. 

O projeto de Lei é polêmico e encontra forte oposição da bancada evangélica, da católica e de defesa da família. O deputado Jair Bolsonaro, militar aposentado, tem sido uma das vozes mais incômodas aos que são favoráveis a nova lei que pretende criminalizar a homofobia e restringir a liberdade de expressão, que é direito constitucional. Se opôs fortemente ao chamado “Kit Gay” que estava sendo preparado pelo MEC para ser distribuído nas escolas.

Ante o clamor público que levantou-se, a presidente da república, Dilma, se pronunciou, vetou o Kit preparado pelo MEC. Segundo suas próprias palavras: "O governo não fará propaganda de opção sexual e não pode interferir na vida pessoal dos cidadãos, além do kit em seu teor não cumprir com o objetivo a que se propunha: combater a discriminação."


Além disso, tomou-se a posição de que coisas assim relacionadas a costumes deverão ser debatidas amplamente pela sociedade.

No fim, o projeto PL 122 sofreu inúmeras alterações em seu texto. Mas num país onde o executivo legisla mais que o legislativo, ficou decidido que está valendo a união estável entre homossexuais. O que os transforma em algo próximo ao casamento, mas por hora, considerado pela justiça como uma “unidade familiar”, dando a eles a possibilidade até de adoção de crianças.

Bem, fiz um compacto de acontecimentos recentes e ainda efervescentes da nossa vida atual e a esse ponto da leitura você deve estar se perguntando, "cadê a família no meio disso tudo"? 

Maio, que findamos a pouco, é chamado o mês da família. O fato é que precisamos reforçar a nossa identidade como família, que é na verdade um presente de Deus. Ele a criou, para ser bênção a todos nós. Deus abençoou raça humana instituindo a família, criando homem e mulher: "Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou" - Gênesis 1.27.

Olhando para um texto posterior encontramos a declaração de Deus:"Então o Senhor Deus declarou: Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda" - Gênesis 2.18.

Nestes textos vemos que Deus não criou um outro homem para ajudar a Adão, criou um segundo gênero para a raça humana, e assim o é, homem e mulher, macho e fêmea. Não há uma terceira, quarta ou quinta opção. Deus abençoou raça humana instituindo a família, criando o casamento:

21 Então o Senhor Deus fez o homem cair em profundo sono e, enquanto este dormia, tirou-lhe uma das costelas, fechando o lugar com carne.
22 Com a costela que havia tirado do homem, o Senhor Deus fez uma mulher e a trouxe a ele.
23 Disse então o homem: "Esta, sim, é osso dos meus ossos e carne da minha carne! Ela será chamada mulher, porque do homem foi tirada".
24 Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.
25 O homem e sua mulher viviam nus, e não sentiam vergonha. - Gênesis 2. 21-25

Deus criou o casamento entre homem e mulher, só podemos chamar de casamento algo nestes termos, o que for contrário a isso, não é casamento. 

Não havia cartório de registro civil na época, não havia surgido o sacerdote, o profeta ou qualquer outra autoridade religiosa para celebrar cerimônia. Até porque eles não haviam pecado ainda e não estavam desligados de Deus pelo pecado. Portanto, o que os juntou como uma só carne? A relação íntima dos dois em seu leito.

Mas apesar de todas as formalidades que vieram e foram se propagando até os dias de hoje, com oficialização de compromisso em cartório e cerimônia religiosa, onde para alguns é sacramento, para outros é apenas pedido da bênção de Deus para união, isso não mudou e até a justiça só reconhece como casamento consumado a relação íntima do casal - sem este ato, o casamento pode ser anulado judicialmente.

Portanto, para Deus, homem e mulher juntaram-se, está feito o casamento. Não há nada de impuro nisso quando ambos estão cientes da responsabilidade que assumiram a partir deste momento um com o outro, quando formaram uma só carne. O sexo é benção de Deus para o casal, o apóstolo Paulo mesmo diz: "Não se recusem um ao outro, exceto por mútuo consentimento e durante certo tempo, para se dedicarem à oração. Depois, unam-se de novo, para que Satanás não os tente por não terem domínio próprio." 1 Coríntios 7. 5

Deus abençoou a raça humana instituindo a família, dando frutos ao casamento: "Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne". Gênesis 2. 24

O texto fala de pai e mãe, mas um texto que fala mais disso é Salmo 127.3: "Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão."

Deus abençoou a raça humana instituindo a família, e é dentro da família que vem o fruto do casamento, a herança do Senhor, no fruto do ventre da mulher. Isso só é possível, dentro da natureza criada por Deus, na união de homem e mulher, no casamento.

Hoje o avanço da ciência, dentro da capacidade que o próprio Deus deu ao homem, existe inseminação artificial, e às vezes o homem quer crer que independe de Deus para tal, casais que não são hetero podem até apelar para este expediente. Mas o fato é que eles partem do que já existe e as formas apenas são reproduzidas em laboratório, no final quem dá a vida realmente é o mesmo Deus. O homem nunca fará o papel de Deus.

Os filhos são fruto, benção e galardão, recompensa do casamento. E estes só existem na união entre homem e mulher como Deus nos fez. O problema que temos diante de nós hoje é que “casais” que agora poderão ser chamados de uma “entidade familiar”, poderão chegar ao ponto de conseguir adotar crianças.

Isso é terrível, pois vai contra tudo que acreditamos ser a família criada como bênção por Deus. Deus destruiu duas cidades, Sodoma e Gomorra pelas práticas similares a destes “casais não-hetero”. Agora, o que essa pseudo-família pode oferecer a uma criança abandonada? Que passos e exemplos ela poderá seguir?

Deus abençoou a família dando frutos ao casamento, isso só é benção dentro da ordem estabelecida por Ele mesmo. Com certeza esse será um assunto recorrente por muito tempo e poderemos retomá-lo a qualquer hora. 

No momento, peço a Deus que conduza os passos de nosso país, pois“feliz é a nação cujo Deus é o Senhor”, e que mantenhamos em mente que a família criada por Ele, a nós foi dada como bênção, tem estrutura bem definida e precisa ser defendida. 

Se nos calarmos agora, o silêncio posterior será muito mais aterrorizante. Afinal, entre leis humanas e a Lei de Deus, “importa obedecer antes a Deus do que aos homens (Atos 5. 29)”.

--------------------------------------------------
Danilo Cassemiro de Campos é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2010. Ordenado em 2011. Bacharel em Design (Projeto do Produto) pela Faculdade Asseta de Tatuí (2008), além de Técnio em Processamento de Dados e Hardware (1998 e 2002). É fundador e editor do site www.desimax.com.br
Google Plus