As Bem-Aventuranças (7) - Os Pacificadores

Conduta para unidade


Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo (Ef 4.15).

Para viver bem com as pessoas precisamos ter uma postura de unidade. Em Efésios 4.2, Paulo mostra como deve ser a conduta para a unidade: “Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor” (Ef 4.2). 

Ele diz que devemos andar de modo digno ao nosso chamado - “Sejam o que vocês são...” Paulo diz também que devemos andar com toda a humildade e mansidão, com longanimidade.

John Stott comentando este versículo diz que a conduta para unidade possui quatro qualidades: humildade, mansidão, longanimidade e amor. Buscando estas qualidades, poderemos realmente viver em amor. Viver bem conosco, com Deus e com o nosso próximo.

Humildade - Desprezada deste muito tempo. “Humildade, reconhecida por muitos como um sinal de fraqueza é imprescindível para a unidade, é o reconhecimento da dignidade e do valor de outras pessoas” (Stott). Humildade é um esvaziamento de si mesmo, o oposto da vaidade.

Mansidão - Qualidade de moderação. Habilidade de controlar a ira. “Mansidão é a suavidade dos fortes, cuja força está sob controle” (Stott). “Ausência da disposição para asseverar direitos pessoais, seja na presença de Deus, seja na dos homens” (Findlay).

Longanimidade - Longo ânimo. Não perder a alegria com facilidade. “Aguentar com paciência pessoas provocantes. Mútua tolerância sem a qual nenhum grupo de seres humanos pode conviver em paz” (Stott). A longanimidade nos capacita a suportar uns aos outros.

Amor - A soma de todas as virtudes. “Ele enfatiza por toda parte a virtude da afetividade, afeição verdadeira e terna para com o irmão, o vizinho e até mesmo para com o inimigo, o nobre esforço em beneficiá-lo e jamais de alguma forma prejudicá-lo” (William Hendriksen). Amar é procurar de modo construtivo o bem-estar dos outros e o bem da comunidade.

Agradar a Deus é ter uma conduta de unidade.

Comentários