O que você precisa saber antes de morrer



Uns jovens estavam distribuindo literatura evangélica numa das ruas da cidade. Um senhor bem vestido, recebeu um folheto, rasgou-o em pedacinhos e, acintosamente, disse ao jovem: veja o que faço com isto. Dizendo isso jogou para o alto os pedacinhos de papel.


Esse homem chegou em casa e ao tirar a roupa para o banho, encontrou um pedacinho de papel em seu colarinho. Pegou o papel e curioso, foi ver o que estava escrito. Só havia uma palavra escrita - Salvação.

Salvação? Mas salvação do quê? Não estou em perigo de vida! Salvação de quê? E não conseguiu dormir aquela noite, com a pergunta a martelar-lhe a cabeça: salvação de quê?

De manhã bem cedo, procurou o grupo de jovens que distribuía folhetos e conseguiu o folheto que ele havia rasgado. E ali ele tomou conhecimento de que todas as pessoas correm o risco de se perder; de que todos necessitam de salvação. Salvação significa Vida Eterna, perdão, paz, reconciliação, justificação e finalmente santificação.

Nós somos alma imortal que continuará vivendo em alguma parte após a morte do corpo. Mais cedo ou mais tarde você também terá de enfrentar essa tremenda realidade. Onde você pretende passar a eternidade?

As palavras que seguem foram colhidas dos lábios de grandes descrentes, ou ateus pouco antes da morte:

VOLTAIRE, grande escritor cético francês, falecido em 1778: "estou abandonado por Deus e pelo homem. Dou-lhe metade do que possuo se você me der mais seis meses de vida (isto foi dito ao Dr. Trochin que lhe disse nada poder fazer). Então, continua o agonizante, eu irei para o inferno e você irá comigo".

CHURCHIL, poeta satírico inglês, falecido em 1764 - o Bocage da Inglaterra - "que louco que fui".

HOBBES, filósofo inglês, falecido em 1679: "torno a dizer que se tivesse o mundo todo à minha disposição, eu o daria para viver mais um dia, estou para dar um salto na escuridão".

GIBBON, célebre historiador, inglês, falecido em 1794: "tudo agora está perdido! Está tremendamente escuro e duvidoso".

MIRABEAU, o mais brilhante orador revolucionário francês, falecido em 1791: "dá-me mais láudano (entorpecente à base de ópio) para que eu não possa pensar na eternidade".

ELISABETH, rainha da Inglaterra: "todo o meu reino por mais um momento de vida".

THOMAS PAINE, notável publicista inglês, falecido em 1809: "Ó Senhor, ajuda-me. Ó Deus, que tenho eu feito para sofrer tanto assim? E que será de mim depois disto?"

CARLOS IX, rei da França, responsável pelo morticínio de protestantes, na noite de São Bartolomeu em 24 de agosto de 1572: "quanto sangue, quantos assassinos, quantos maus conselheiros tenho seguido!"

BOCAGE, grande poeta satírico português, falecido em 1805: "outro Aretino fui, a Santidade manchei; Ó se me creste, gente ímpia, rasga os meus versos e crê na eternidade".

GAMBETA, grande político e orador francês: "Estou perdido, não adianta negar".

CHARTERES: "daria alegremente trinta mil libras a quem provasse que o inferno não existe".

SIR FRANCIS NEWPORT: Oh! bem que eu suportaria por mil anos o fogo que nunca se apaga, se com isso eu pudesse comprar o favor de Deus, para reunir- me de novo a Ele, mas isso, bem o sei, é um desejo infrutífero. Milhões e milhões de anos não me colocariam mais perto do fim dos meus tormentos, que uma simples hora. Oh, eternidade m eternidade, para sempre e para sempre!

E mais estas palavras de um ateu confesso, "Há uma coisa que estraga por completo todos os prazeres da minha vida. Temo que a Bíblia seja verdadeira. Se eu pudesse ter a certeza de que a morte é o sono eterno, então seria realmente feliz. Mas aqui está o que me angustia - se a Bíblia for verdadeira então eu estou perdido para sempre!"

E o caro leitor, já parou para pensar no assunto?

Para despertar-lhe a curiosidade e a responsabilidade, transcrevo o que escreveu o poeta sacro J. Diener:

A ÚLTIMA HORA:
Ao findar o labor desta vida 
Quando a morte ao teu lado chegar
Que destino há de ter a tua alma? 
Qual será no futuro o teu lar?

Tu procuras a paz neste mundo 
Em prazeres que passam em vão 
Mas na última hora da vida 
Tais prazeres valor não terão

Muitas vazes tu riste, ó amigo, 
Quando ouviste falar de Jesus 
Mas somente o Senhor pode dar-te 
Salvação por sua morte na cruz

Com tua alma manchada não podes 
Adentrar as moradas de Deus, 
Mas aquele a quem Deus tornou limpo 
Gozará da ventura dos céus.

Se quiseres deixar teus pecados e 
Entregar-te hoje mesmo a Jesus 
Hás de ter nesta vida e na morte 
Um brilhante caminho de luz e o estribilho

Meu amigo, hoje tens a escolha 
Vida ou morte, qual vais aceitar? 
Amanhã pode ser muito tarde 
Hoje Cristo te quer libertar

Pense nisso você também leitor amigo.

--------------------------------------------------
Samuel Barbosa é pastor jubilado da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 1960. Posteriormente graduou-se em Letras, Pedagogia, Supervisão Escolar e Especialização em Língua Portuguesa com produtiva carreira acadêmica. Pastoreou as igrejas presbiterianas de Apiaí, Correias e Itararé entre 1961 e 1962. Foi pastor da Igreja Presbiteriana de Itararé durante 32 anos até sua jubilação. Presidiu o Presbitério de Itapetininga por 22 anos e é pastor emérito das Igrejas Presbiterianas de Itararé e Itaberá. 
Tecnologia do Blogger.