Sofrimento de Cristo


Às vezes nos perguntamos por que Cristo sofreu tanto, a ponto de pedir a Deus que se fosse possível passasse dEle aquela hora? Ao seu lado estavam dois ladrões que estavam cumprindo a mesma pena. Eles, contudo não pediram para se livrarem daquela hora!


Por que Jesus quase não suportou seu sofrimento? A resposta está nas palavras de um dos ladrões que estavam sendo crucificados com ele: "nós, na verdade, pagamos o que os nossos feitos mereciam, mas este nenhum mal fez." 

Aí está. Sofrer pelos próprios erros não é difícil; difícil é sofrer inocentemente, em lugar de outros. Jesus era um homem diferente. Ele desafiava: "quem pode me acusar de pecado?" Num mundo em que a normalidade é o mal, o erro, o pecado, um santo sofre. 

O ladrão não sofria tanto porque estava acostumado com o mal e sabia que, no seu caso, apenas se fazia justiça.

O sofrimento de Jesus não foi só no Getsêmani. Foi durante todo o seu ministério, quando verificou que os homens amavam mais as trevas do que a luz. Convida amorosamente: "vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei". E lamentava: "e não quereis vir a mim para terdes vida!"

Jesus foi vítima de sua própria perfeição. Os grosseiros sentimentos humanos feriam fundo sua sensibilidade. Seu senso de justiça o fazia sofrer diante das injustiças dos homens. Quando nasceu não encontrou lugar para Ele na estalagem, durante sua vida não encontrou lugar no coração dos homens: "veio para os que eram seus, mas os seus não o receberam". Quando morreu, não encontrou lugar para Ele na terra, tendo que morrer pendurado entre o céu e a terra! 

Mas graças aos mistérios de Deus que, segundo o apóstolo Paulo, é uma loucura para o homem natural, é que temos acesso a Deus: "mas a todos o que receberam deu-lhes Deus o direito de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome".

Eu sofro menos, neste mundo, do que Jesus sofreu, porque eu faço parte deste mundo mau. Eu já estou acostumado com o pecado. Cristo porém era um "estranho" neste mundo mau - "quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?" Anormal, onde a normalidade é o pecado, tinha que sofrer mais do que os outros. E sofreu. E morreu.

Sofreu para que eu não sofresse: "o castigo que nos traz a paz Ele levou sobre si". Morreu para que eu não morresse: "mas aquele que nele crê tem a vida eterna".

Leitor, amigo, medite nisso, Jesus sofreu e morreu por você, pela sua vida. Será que valeu a pena? Será que não vale a pena você viver para Ele? Procure conhecer esse Jesus maravilhoso que pode e quer lhe dar paz e salvação!

--------------------------------------------------
Samuel Barbosa é pastor jubilado da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 1960. Posteriormente graduou-se em Letras, Pedagogia, Supervisão Escolar e Especialização em Língua Portuguesa com produtiva carreira acadêmica. Pastoreou as igrejas presbiterianas de Apiaí, Correias e Itararé entre 1961 e 1962. Foi pastor da Igreja Presbiteriana de Itararé durante 32 anos até sua jubilação. Presidiu o Presbitério de Itapetininga por 22 anos e é pastor emérito das Igrejas Presbiterianas de Itararé e Itaberá. 
Tecnologia do Blogger.