Olha pra mim


Faze o teu rosto resplandecer sobre o teu servo; salva-me por teu amor leal
Salmos 31.16 

“Uma noite sem estrelas, assim é minha alma, ó Senhor, caso escondas a Tua face de mim! Meus pés vacilam, meus passos são incertos, minhas mãos tateiam no escuro, meu coração é oprimido por medo e terror indizíveis” (Susannah Spurgeon). 


Como ela pode dizer que sua alma é como uma noite sem estrelas? Como pode a mulher do grande pregador Spurgeon ficar oprimida com terror indizível? 

Às vezes pensamos que algumas pessoas são tão abençoadas que não têm problemas. Imaginamos que até tenham problemas, mas não como os nossos.

A verdade é que embora nossos problemas sejam diferentes e de diferente intensidade, ainda assim todos os problemas são grandes para quem o está enfrentando. 

Isso pode acontecer com qualquer um de nós quando nossa fé está enfraquecida. Seja pelo pecado, pela insistência das dificuldades, pela escuridão do mundo em que vivemos. 


Nossa oração deve ser: “Olha com bondade para mim, teu servo; salva-me por causa do teu amor” (Sl 31.16 - NTLH).

Precisamos clamar ao Senhor. Deus não desampara seus filhos. “Todos podem ver como tu és bom e como proteges os que confiam em ti” (Sl 31.19b - NTLH). 

Quando enfrentamos algum problema é comum ficarmos amedrontados, nos sentirmos abandonados. O Salmista diz, no verso 22, que ficou com medo pensando que Deus o havia expulsado da sua presença.

Parece que Deus virou seu rosto para uma direção distante, que não está olhando para nossa dificuldade. “Mas ele ouviu o meu grito quando o chamei pedindo ajuda” (Sl 31.22b - NTLH). “Uma oração, se sincera, não pode ficar sem resposta por longo tempo” (Suzannah Spurgeon). 

Os problemas podem tirar as estrelas de nosso céu fazendo as noites mais escuras, mas quando clamamos ao Senhor, ele olha para nós e sua luz resplandecente, ilumina nossa vida. Amemos ao Senhor, confiemos em sua fidelidade. Ele protege os que são sinceros. 

Deus dá força e coragem àquele que põe sua esperança nele. 

Tecnologia do Blogger.