A ascensão de Cristo


Findas as festividades da Páscoa, nas quais relembramos da ressurreição de Cristo, acabamos por não atentar aos desdobramentos desse grande evento na história. 


Refiro-me especificamente à ascensão de Cristo, que, assim como sua ressurreição, é rica em significados. 

Diante disso, o objetivo dessa reflexão é abordar sucintamente esse importante acontecimento do ministério de Cristo.

Vejamos: 

1. Cristo subiu para um lugar 
Num primeiro momento, isso parece óbvio; todavia, há aqueles que cogitam que o céu, local para onde Jesus subiu, não seja um lugar. 

As narrativas do Novo Testamento têm a intenção de deixar claro que Cristo foi para um lugar. O trecho de Atos 1.9-11 descreve que Cristo foi elevado ao céu diante de seus discípulos. 

Jesus tinha um corpo ressurreto, porém limitado, visto que podia estar em um local por vez. Dessa forma, a ascensão é um fato que comprova que Cristo foi para algum lugar. 

É um local que nossos olhos não podem ver, pois diz respeito a uma realidade espiritual; apesar disso, é real, e alguns homens, como Estevão, foram beneficiados pelo fato de poderem tê-lo visto (cf. At 7.55-56). 

Portanto, Cristo, de fato, está num local, embora nossos olhos não consigam ver. 


2. Cristo recebeu mais glória no céu do que na terra
Quando Jesus subiu aos céus, recebeu mais glória do que aquela manifestada na terra. Antes de sua morte, ele orou: “Glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo” (Jo 17.5). 

Paulo declarou que, após seu sacrifício, Cristo foi exaltado sobremaneira (Fp 2.9). Ele está agora no céu e coros angelicais cantam-lhe louvor continuamente (Ap 5.12). 

3. Cristo assentou-se à destra do Pai
Uma vez recebido com honra, Cristo assentou-se à direita do Pai. Isso foi uma predição do Antigo Testamento, que anunciou que o Messias sentaria à direita de Deus (Sl 110.1). 

Essa condição, além de demonstrar que Cristo cumpriu sua obra de redenção (Hb 1.3), mostra que Ele tem toda a autoridade sobre todas as coisas, quer visíveis, quer invisíveis (Ef 1.20-21; 1 Pe 3.22; 1 Co 15.25). 

Além disso, estar à direita de Deus atesta sua autoridade de derramar o Espírito Santo conforme havia sido prometido (At 2.33). 

Conclusão
A ascensão de Cristo não pode ser desprezada. Assim como a ressurreição, esse evento possui importantes significados. 

Nessa pequena reflexão aprendemos que a ascensão do Cristo encarnado prova que ele foi para um local específico, que recebeu ainda mais glória do que aquela vista na terra, estando à direita do Pai. 

Isto é, tem a mesma autoridade do Pai e concede o Espírito aos seus. Que não desprezemos esse importante evento na história da redenção. 

Tecnologia do Blogger.