A perseverança dos santos


Que garantias uma pessoa tem de que permanecerá cristã? Porventura pode um cristão genuíno afastar-se definitivamente e, consequentemente, perder sua salvação? Para ambas as perguntas a resposta é: Não! A base para essa afirmação reside na doutrina da perseverança dos santos, objeto de nossa reflexão.

Verifiquemos alguns aspectos do tema:



1. Quanto à definição

Wayne Grudem assim define essa doutrina: “Pela perseverança dos santos, todos aqueles que verdadeiramente nasceram de novo serão guardados pelo poder de Deus e perseverarão como cristãos até o final da vida, e só aqueles que perseverarem até o fim realmente nasceram de novo”. 

Essa definição aponta para duas realidades. A primeira afirma que o poder de Deus guardará o cristão para que este não perca a salvação. A segunda é que a perseverança na fé é uma das evidências do novo nascimento.


2. Os nascidos de novo perseverarão até o fim

Vários textos comprovam isso. Jesus afirma que seu objetivo é fazer a vontade do Pai, de modo que “nenhum eu perca de todos os que me deu” (Jo 6.39). Isso significa que nenhum daqueles que foram dados ao Filho pelo Pai se perderão. 

Outro texto que comunica essa segurança é Ef 1.13,14, em que Paulo fala do ministério do Espírito Santo. Ele é o “selo” colocado em nós, que garante que somos propriedades de Deus, nos protege da violação, comunica nossa autenticidade de filhos. Ora, se somos filhos, somos herdeiros de Deus, co-herdeiros de Cristo, e com Ele sofremos e seremos glorificados (Rm 8.7).


3. Só os que perseverarem realmente nasceram de novo

Se por um lado temos a afirmação de que Deus nos guardará, por outro a Bíblia também ensina que a perseverança é um sinal do novo nascimento. Não existe novo nascimento se não há disposição para viver de acordo com a Escritura. 

Jesus disse que aquele que perseverar até o fim será salvo (Mt 10.22). Além disso, Paulo afirma que o cristão está morto para o pecado e vivo para Deus. Isto é, seu modo de vida agora é voltado para a obediência a Cristo e não para as paixões (Rm 6.11-12). Sua nova vida com Cristo é evidenciada pelos frutos que são produzidos (Tg 2.17).


Conclusão

A garantia do cristão no tocante à salvação reside na perseverança de Deus por ele. Deus nos guarda de tropeços que nos levam à condenação; todavia, somos ensinados também que nosso novo nascimento é evidenciado por uma nova disposição mental e mudança de vida.

------------------------------------
Carlos Eduardo Pereira de Souza  é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2012. Mestrado em Novo Testamento pelo Centro de Pós Graduação Andrew Jumper em 2013. Pós-graduado em docência do ensino superior, pela Universidade Paulista em 2016.

Tecnologia do Blogger.