As quatro características da Palavra de Deus


Na profissão de fé, o crente declara ser o Antigo e o Novo Testamentos a Palavra de Deus. Isso em consonância com o fato de que a Bíblia foi dada por Deus para o conhecimento especial Dele próprio. Com isto em mente, nessa breve reflexão, abordaremos quatro características da Palavra do Senhor.



1. Autoridade

Wayne Grudem afirma: “A autoridade das Escrituras significa que todas as palavras nas Escrituras são palavra de Deus, de modo que não crer em alguma palavra da Bíblia ou desobedecer a ela é não crer em Deus ou desobedecer a Ele”. O salmista, consciente dessa característica, declara: “Tu ordenaste os teus mandamentos, para que os cumpramos à risca” (Sl 119.4). Portanto, a Bíblia é normativa, isto é, nossa regra de fé e prática.


2. Clareza

Grudem escreve: “A Bíblia está escrita de modo que seus ensinamentos podem ser compreendidos por todos os que a lerem buscando o auxílio de Deus e dispondo-se a adotá-la”. Isso significa que Deus fala com o homem por meio de uma linguagem compreensível a todo homem. Esse ensino se faz presente em Jo 20.30-31, onde está escrito: “Na verdade, fez Jesus diante dos discípulos muitos outros sinais que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome (Jo 20.30-31).


3. Necessidade

Esta característica ensina o propósito das Escrituras. Grudem declara: “A Bíblia é necessária para conhecer o evangelho, para conservar a vida espiritual e para conhecer a vontade de Deus”. A Bíblia, é, portanto, a revelação especial de Deus. Por isso, o sábio escreveu: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz para os meus caminhos” (Sl 119.105).


4. Suficiência

Grudem diz: “A Bíblia contém todas as palavras divinas que Deus quis dar ao seu povo em cada estágio da história da redenção e que hoje contêm todas as palavras de Deus que precisamos para a salvação, para que, de maneira perfeita, nele possamos confiar e a ele obedecer”. Paulo, ao escrever para Timóteo, fala sobre essa suficiência por meio da seguinte exortação: “Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o aprendeste e que, desde a infância, sabes as sagradas letras, que podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus” (2 Tm 3.14,15).


Conclusão

Autoridade, clareza, necessidade e suficiência. Essas são características inerentes à Palavra do Senhor. Que Ele, por meio de seu Espírito, nos mova em direção à sua Palavra e por intermédio do mesmo Espírito nos dê entendimento sobre aquilo que Ele nos ensina.

------------------------------------
Carlos Eduardo Pereira de Souza  é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2012. Mestrado em Novo Testamento pelo Centro de Pós Graduação Andrew Jumper em 2013. Pós-graduando em docência do ensino superior, pela Universidade Paulista.

Tecnologia do Blogger.