A criação (3)


Deus é o supremo criador de todas as coisas. Ele criou o universo espiritual, o ser humano e o tempo. Em nossa última reflexão sobre o tema, abordaremos outros importantes elementos para nossa abalizada compreensão da doutrina da Criação. São eles:


1. A Criação é distinta de Deus; apesar disso, é dependente Dele.
A Escritura ensina que Deus é distinto da Criação (Sl 71.9). Essa afirmação é também conhecida pela expressão transcendência, que significa que Deus está acima de toda a Criação. Por outro lado, ela é dependente de Deus para existir. Essa declaração,por sua vez, é chamada de imanência, pois Deus relaciona-se com sua Criação para manter-se em atividade. Jó disse que os animais e as plantas dependem de Deus (Jó 12.10). Paulo, por seu turno, escreve que Deus “a todos dá vida, respiração e tudo mais” e que “nele vivemos, e nos movemos, e existimos (At 17.25,28).

2. A Criação tem como propósito glorificar a Deus. 
Toda a Criação tem como propósito revelar a glória de Deus. Isso se aplica igualmente a seres inanimados, tais como o sol e as estrelas. Sobre isso o salmista escreve: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos” (Sl 19.1). O cântico registrado em Apocalipse ensina o mesmo princípio. Ali lemos: “Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas”. Finalmente, Jeremias registra que a Criação revela o grande poder e a sabedoria de Deus (Je 10.12), o que o distingue dos demais deuses (Sl 96.5).

3. O universo criado era bom. 
O livro de Gênesis ensina que, na conclusão de cada estágio da Criação, Deus via que o que havia sido criado era “bom” (Gn 1.4; 10, 12, 18, 21, 25). Depois dos seis dias, o mesmo livro registra: “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia” (Gn 1.31). Embora por causa do pecado a terra tenha sido amaldiçoada, ainda assim as coisas criadas continuam sendo boas. Por isso, Paulo combateu os falsos mestres que proibiam receber coisas que haviam sido criadas por Deus (1 Tm 4.1-5). No v. 4, Paulo afirma: “Pois tudo que Deus criou é bom, e, recebido com ações de graças, nada é recusável”.

Conclusão
Não há nada no universo visível e invisível que não tenha sido criado por Deus. Se por um lado, Ele está acima dela, por outro, a Criação depende Dele para manter-se em atividade. A Criação tem como propósito o louvor do Senhor. Finalmente, ela é boa em todos os aspectos. Sendo assim, a Criação deverá sempre ser um dos motivos pelos quais Deus deve ser engrandecido.

------------------------------------
Carlos Eduardo Pereira de Souza  é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2012. Mestrado em Divindade com concentração no Novo Testamento pelo Centro de Pós Graduação Andrew Jumper em 2013. Pós-graduando em docência do ensino superior, pela Universidade Paulista.

Tecnologia do Blogger.