Sociais

Por que?


Por que é que tem que ser assim? Essa pergunta já foi feita muitas vezes diante de circunstâncias incômodas da vida. 


A maioria das contrariedades humana acontecem por conta das contradições próprias do ser humano. O homem perdeu a capacidade de escolher bem e, porque não sabe escolher, sofre as conseqüências de sua escolha. Bem no fundo da questão do sofrimento humano está a incapacidade do homem de administrar a sua vida. E porque o homem é contraditório até as leis que ele faz são contraditórias.

Já observaram que um indivíduo rouba um pão, a justiça o julga e o condena a uns tantos anos de prisão, tempo durante o qual o governo fica dando pão gratuitamente para ele. O roubo foi de um pão, o prejuízo foi de um só, o dono da padaria, e agora o povo é que fica pagando o pão pra ele durante todo o tempo da pena. Todo mundo deve pagar o pão que come!

O limite de velocidade é de oitenta quilômetros por hora. Os carros são fabricados com capacidade para atingirem duzentos quilômetros por hora!

Nos ônibus há uma lei fixada lá na frente proibindo o uso do fumo, mas os ônibus [antigamente saiam] da fábrica com cinzeiros!

Um fazendeiro tinha um touro de raça. Foi procurado por um corretor de seguros que o convenceu a fazer uma apólice de seguro de vida para o touro, mostrando que o touro podia ser roubado, podia ser picado por uma cobra etc. 

O fazendeiro segurou a vida do touro em um milhão de reais. Depois de assinados os documentos o corretor perguntou se o fazendeiro não queria fazer um seguro da própria vida. Depois de muita conversa conseguiu convencer o fazendeiro a fazer um seguro também para sua vida, por cem mil reais. O próprio fazendeiro considerou que a vida do touro valia nove vezes mais que a sua própria vida!

O indivíduo faz seguro contra roubo incêndio e qualquer outro tipo de prejuízo para suas propriedades. Mas ele vive a vida toda prejudicando-se com os vícios, poluindo os pulmões de fuligem e de nicotina, ou apodrecendo o fígado com o álcool. Daí quando lhe sobrevém um câncer ou uma cirrose, alega que não sabe porque é que tem que ser assim!

Essa contradição do ser humano é observada no simples fato de que o homem passa a vida inteira cantando e batendo palmas a cada aniversário que faz. Não percebe que cada ano a mais é um ano a menos, como já disse não sei quem. Então quando chega ao final, na morte, todos choram!

Um cidadão é condenado, vai para a cadeia, fica o tempo todo muito bem alimentado, muito bem assistido, com referência à saúde. Assistência que exige do governo um gasto per capta de cerca de cinco salários mínimos. 

Esse mesmo governo faz tanto estardalhaço para aumentar o salário mínimo de [678] para [724] reais. Um marginal tem toda a assistência por parte do estado. O trabalhador de salário mínimo passa fome produzindo para o estado, morre nas filas dos hospitais ou recebe uma assistência médica (que ele já pagou adiantado) por simples desencargo de consciência!

Um jovem estuda muito, consegue fazer uma vida estável e até mesmo fazer fortuna. Depois por uma simples emoção de momento ou dominado pelos vícios, destrói sua vida e a vida de toda a família e leva o sofrimento a muitas outras pessoas. 

Por que isso?

O homem precisa aprender a ser coerente. Cada ser humano é uma personalidade. Essa personalidade só é integral quando todas as faculdades estão em perfeito equilíbrio. Os vícios tiram a capacidade de racionar e o homem sem sua capacidade de racionar deixa de ser pessoa. Os vícios despersonalizam o ser humano, ele perde sua vontade própria. 

Para mostrar que é homem ele briga, ele atende às insinuações e aos desafios de outras pessoas. Quer dizer, ele deixa de fazer a sua vontade e passa a ser um joguete da vontade dos outros que o exploram!

Cada ser humano é uma unidade psico-somática que se assenta no tripé - corpo-mente-alma. As três partes desse tripé precisam ser cuidadas da mesma maneira.

O cuidado só com o corpo torna o homem um bruto. O cuidado só com a mente torna o homem um vaidoso. O cuidado só com a alma torna o homem um fanático. O cuidado com a alma que é o essencial, deve ensinar o homem a cuidar do corpo e da mente tornando-se destarte um indivíduo realizado na vida.

Quando alguma coisa lhe acontecer e que o leve a perguntar: - porque é que tem quem ser assim? Atente para as palavras do profeta Jeremias, em seu livro das Lamentações 3:39 "de que se queixa, ó homem vivente? Queixe-se cada um de seus próprios erros".

--------------------------------------------------
Samuel Barbosa é pastor jubilado da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 1960. Posteriormente graduou-se em Letras, Pedagogia, Supervisão Escolar e Especialização em Língua Portuguesa com produtiva carreira acadêmica. Pastoreou as igrejas presbiterianas de Apiaí, Correias e Itararé entre 1961 e 1962. Foi pastor da Igreja Presbiteriana de Itararé durante 32 anos até sua jubilação. Presidiu o Presbitério de Itapetininga por 22 anos e é pastor emérito das Igrejas Presbiterianas de Itararé e Itaberá. 
Google Plus