Homem na Lua


James Irwing, relatando as emoções que experimentou nos três dias que passou na superfície da lua diz:

... mesclando as minhas palavras com o refrão de um velho hino, vinham-me as palavras de um salmo favorito: "levantarei os meus olhos para os montes de onde o socorro me virá. O meu socorro vem do Senhor..."

Quando dirigimos nosso jeep lunar - Rover I - de regresso ao Falcon, após as três primeiras excursões exploratórias, pensei nos salmos novamente e recitei algumas palavras para Dave (David Scot, seu companheiro) e para os homens do controle da missão. Até hoje nada encontrei na Apoio XV ou nesta era do espaço e ciência que pudesse abalar minha fé em Deus.

Na verdade, enquanto estive na lua, tive uma espécie de inspiração, uma certeza de que alguém estava conosco vigiando e protegendo-nos...
Esta certeza de proteção surgiu como um sentimento íntimo que em nada se relacionava com o fato de saber que todos os nossos movimentos eram acompanhados pela televisão, pelo centro de controle.



E pensar que há algum tempo alguém saiu do campo de gravitação da terra, mas muito aquém do campo gravitacional da lua e "lunaticamente": declarou que andou pelo "kosmos" e não viu Deus!

E eu me lembro de um outro salmo: "disse o néscio no seu coração, não há Deus".

Tecnologia do Blogger.