Sociais

Crianças


[A palavra criança] significa um mundo de coisas. Inocência, simplicidade, ternura, simpatia, pureza, espontaneidade, boa fé, credulidade. Foi pensando em tudo isso e muito mais que Jesus disse que "Das tais é o reino dos céus". Num certo lugar Jesus afirmou que se o homem não se fizer como criança não poderá entrar no reino de Deus.


Tanto valor Jesus dava às crianças que disse que se um indivíduo se transformar em pedra de tropeço a uma criança, melhor seria que lhe amarrassem ao pescoço uma pedra de moinho e se o atirassem ao mar.

Isso dá o que pensar. Será que induzir uma criança ao vício não é tornar-se-Ihe em pedra de tropeço? O pai, ou a mãe, que transmite ao filho um mau exemplo de comportamento não estará sendo para o filho uma pedra de tropeço?

A responsabilidade dos adultos diante das crianças é muito grande, pois muitas vezes, sem que percebamos, há uma criança a nos observar. Quanta coisa boa há no tesouro do homem bom! Mas há coisas más no mau tesouro do homem mau. E o homem mau tira coisas más de seu mau tesouro, diz a Bíblia.

Então o que é preciso é que nós, em relação às crianças, procuremos armazenar em nosso espírito, em nosso pensamento, em todo o nosso ser, coisas boas, coisas que possam ser transmitidas às crianças sem nenhuma restrição. As crianças são muito valiosas, são muito graciosas para serem deformadas pela nossa incontinência, de atos ou de palavras.

Você já observou duas crianças conversando? Então observe. Você vai ouvir coisas belas, verdadeira poesia.

O casalzinho de irmãos estava na janela da casa observando a rua. Tinha chovido e havia poças de água no passeio. O menininho, vendo uma poça de água perguntou a irmã, quem tinha trazido aquela água até ali.

- Foi a chuva, respondeu a irmã.
- Mas cadê a chuva, tornou a perguntar o irmão.

A menina depois de pensar um pouco respondeu:
- Foi buscar mais água, ué!

Resposta lógica, pelo menos para ela.

A criança depende muito do adulto, principalmente do adulto com quem ela convive mais diretamente. Salomão, o sábio rei de Israel, ensinava: "Ensina a criança no caminho em que deve andar e mesmo quando for velho não se desviará dele".

Você já pensou na candura de uma criança? Como elas dizem as coisas mais inesperadas, com a maior simplicidade. A mãe foi buscar o seu filhinho na escola maternal. Quando vinham vindo por uma calçada estreita começou a chover, esses pingos grandes, esparsos. A mãe pegou a mão da criança e começou a correr seguida pelos passos curtos do filho. De repente o menino parou, largou a mão da mãe, olhou para cima e saiu-se com essa: "Ai, Papai do céu, não faça isso com a gente!"

Você já pensou em como você é visto por uma criança? Será que ela pode tomar você como exemplo de vida moral, espiritual? Ou, permita-me uma pergunta mais direta, você gostaria que seu filho o imitasse em tudo?

Você é capaz de olhar seu filho ou filha adolescente, diretamente nos olhe manter esse olhar por algum tempo? Se você não conseguir isso, alguma coisa não vai bem com você. Trate de mudar, pois seu filho não tem ainda o que mudar, está aprendendo com você.

Ensine-o de tal modo que ele não tenha que mudar nada quando chegar a dele olhar seu próprio filho adolescente nos olhos. Faça o melhor por amor aos seus netos.

--------------------------------------------------
Samuel Barbosa é pastor jubilado da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 1960. Posteriormente graduou-se em Letras, Pedagogia, Supervisão Escolar e Especialização em Língua Portuguesa com produtiva carreira acadêmica. Pastoreou as igrejas presbiterianas de Apiaí, Correias e Itararé entre 1961 e 1962. Foi pastor da Igreja Presbiteriana de Itararé durante 32 anos até sua jubilação. Presidiu o Presbitério de Itapetininga por 22 anos e é pastor emérito das Igrejas Presbiterianas de Itararé e Itaberá. 
Google Plus