Comunhão com Deus


Rev. Danilo Campos

Às vezes pensamos que estamos tomando a decisão mais acertada, contudo, corremos o risco de errar. Queremos que tudo acabe dando certo como nós planejamos, mas nem sempre os resultados são os desejados.

O que poderia nos ajudar nas decisões mais acertadas? O que poderia nos auxiliar a aceitar com alegria um bom ou mau resultado? A resposta está na comunhão com Deus!

1 - A comunhão com Deus nos leva a tomar decisões mais acertadas
Quando olhamos para as atitudes de Jonas, percebemos que ele não era uma pessoa que procurava estar em comunhão com Deus. Conforme o curto relato bíblico, ao que parece, ele não costumava orar.

Jonas 1:5 - Então, os marinheiros, cheios de medo, clamavam cada um ao seu deus e lançavam ao mar a carga que estava no navio, para o aliviarem do peso dela. Jonas, porém, havia descido ao porão e se deitado; e dormia profundamente.

Ele passou por uma tempestade ao tentar fugir da presença do Senhor. E enquanto ele dormia no navio, os marinheiros idólatras é que clamavam, cada um a seu deus, por socorro.

Em apenas duas ocasiões  vemos Jonas orar: [1] num momento difícil no qual ele se encontrava dentro de um grande peixe e [2] quando ficou irado pelo fato de Deus não ter destruído a cidade Nínive e seus habitantes. Essa falta de comunhão com o Senhor fez com que Jonas tomasse uma decisão errada: a  de fugir da presença de Deus e não cumprir sua ordem.

A decisão mais acertada que Jonas poderia ter tomado seria obedecer ao Senhor e fazer exatamente o que ele ordenou. 

Mas e nós? Quantas vezes conversamos com Deus antes de tomar uma decisão? Muitas vezes somos levados por nossos impulsos, não pensamos em consultar o Senhor, não refletimos sobre as consequências. Depois nos arrependemos diante do resultado que não esperávamos. 

Para tomarmos decisões mais acertadas, é necessário que estejamos em comunhão com Deus. Isso significa estarmos dispostos para cumprir o que Ele nos disser e prontos a usar o discernimento que vem do alto.

2 - A comunhão com Deus nos livra de sofrimentos desnecessários
A falta de comunhão com o Senhor levou Jonas a tomar atitudes erradas e consequentemente ele acabou passando por sofrimentos desnecessários. Não precisava passar por uma tempestade a bordo de um navio, não precisava passar três dias e três noites dentro do ventre de um peixe. Bastava ele atender chamado de Deus e ir até Nínive cumprir sua missão. 

Ao contrário de Jonas, Davi buscava estar em comunhão com Deus.

Salmos 139:7-8 - Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também;

Se Jonas tivesse essa consciência, certamente não passaria pelo que ele passou. Da mesma forma a falta de comunhão pode nos levar a tomar atitudes erradas e consequentemente, podemos acabar passando por sofrimentos desnecessários. 

Por isso não devemos seguir o exemplo de Jonas, mas sim o de Davi, que buscava ansiosamente a presença do Senhor.

3 - A comunhão com Deus nos dá sensibilidade
Jonas não teve compaixão dos habitante de Nínive, não teve pena nem ao menos das crianças que habitavam naquela cidade, que iriam perecer por causa dos pecados de seus pais.
Jonas 4:9-11 - Então, perguntou Deus a Jonas: É razoável essa tua ira por causa da planta? Ele respondeu: É razoável a minha ira até à morte. Tornou o SENHOR: Tens compaixão da planta que te não custou trabalho, a qual não fizeste crescer, que numa noite nasceu e numa noite pereceu; e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que há mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a mão direita e a mão esquerda, e também muitos animais?
A falta de comunhão com Deus fez de Jonas um homem sem sensibilidade, ele só enxergava seu nacionalismo. Nínive era a capital a Assíria e os assírios eram inimigos do povo de Israel.

Mas a comunhão com Deus nos dá sensibilidade para nos compadecermos até mesmo daqueles nos perseguem, que desejam o nosso mal, que são nossos inimigos. O crente que está sempre em comunhão com Deus deve orar em favor de seus inimigos. 

Provérbios 25:21-22 - Se o que te aborrece tiver fome, dá-lhe pão para comer; se tiver sede, dá-lhe água para beber, porque assim amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça, e o SENHOR te retribuirá.
Deus odeia o pecado e não o pecador, o Senhor odiava o pecado dos habitantes da cidade de Nínive, mas Ele os amava. Jonas não conseguiu compreender isso, teve compaixão de uma planta e não teve pena de seus inimigos.

Precisamos estar em comunhão com Deus para que sejamos sensíveis tanto para amarmos nossos inimigos quanto para entender a vontade do Senhor.

4 - A comunhão com Deus nos ajuda a aceitar resultados
Jonas ficou muito irado com o resultado que obteve a mensagem que ele pregou aos habitantes de Nínive. Eles se arrependeram, se humilharam e Deus resolveu não os destruir mais. 

Jonas 4:1-2 - Com isso, desgostou-se Jonas extremamente e ficou irado. E orou ao SENHOR e disse: Ah! SENHOR! Não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso, me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus clemente, e misericordioso, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e que te arrependes do mal.
Espera aí! Este resultado foi tão maravilhoso, não é mesmo? Um cidade inteira sendo salva, vidas restauradas. Mas porque Jonas ficou irado, porque ele não gostou do resultado obtido? Simplesmente porque não era o que ele queria que acontecesse, ele esperava que a cidade fosse realmente destruída, mas a vontade de Deus foi a que prevaleceu.

De semelhante modo, em muitas situações nós queremos que nossa vontade seja executada e não a Soberana vontade do Senhor. Quantas vezes ficamos irados quando os resultados não eram bem aqueles que desejávamos? Muitas vezes, não é mesmo?

Mas algo que nos ajuda a aceitar os resultados é a comunhão com Deus, estarmos partilhando nossas vidas com Ele.

Jesus nos dá um exemplo tremendo disso em Mateus 26. 39, Ele (...) prostrou-se com o rosto em terra e orou, dizendo: Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.

Cristo disse estas palavras no Getsêmani quando estava prestes a ser preso e morrer por nós na Cruz. Jesus (o Filho) tinha comunhão com Deus (o Pai). A comunhão com Deus nos ajuda a aceitar tanto o sim quanto o não, assim conseguimos compreender que todas as coisas cooperam para o nosso bem.

Conclusão
Jonas esperou muito para buscar a presença de Deus em oração, demorou para pedir sua ajuda. Ele não orou quando o barco estava para afundar, somente clamou por socorro dentro da barriga do grande peixe que o havia engolido, num momento de extrema dificuldade.

Não devemos agir dessa forma, não podemos demorar muito tempo, não podemos esperar o momento mais difícil para buscar a presença de Deus em oração. 

Mesmo porque se estivermos em comunhão constante com o Senhor, poderemos evitar algumas dificuldades, alguns sofrimentos desnecessários.

Isaías 55. 6 diz o seguinte: Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.

Que Deus nos ajude a vencer o desafio de partilharmos nossas vidas com Ele, a andarmos em constante comunhão Ele, de o buscarmos enquanto podemos achá-lo.

--------------------------------------------------
Danilo Cassemiro de Campos é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2010. Ordenado em 2011. Bacharel em Design (Projeto do Produto) pela Faculdade Asseta de Tatuí (2008), além de Técnico em Processamento de Dados e Hardware (1998 e 2002). É fundador e editor do site www.maravilhosagraca.org
Tecnologia do Blogger.