Contaminação Interior



Jesus disse, certa vez, que o que contamina o homem não é o que entra pela boca, mas o que sai de dentro do homem. Isso Ele disse depois de os seus discípulos serem acusados pelos legalistas judeus de que comiam sem lavar as mãos. 


Os judeus seguiam um cerimonial complicado de vida e de costumes. Tinham um cuidado muito grande com o exterior, com a parte visível da vida. Lavavam as mãos tantas vezes ao dia, lavavam até as camas. Por isso vieram denunciar a Jesus seus discípulos que comiam sem lavar as mãos.

Jesus então censura os judeus dizendo que não é o que entra pela boca que contamina o homem, mas o que sai do coração do homem. Os discípulos perguntaram a Jesus o que Ele queria dizer com isso.

E Ele explicou que o que entra pela boca desce ao ventre e é lançado depois a lugares escusos, mas o que sai da boca procede do coração e é do coração que procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falso testemunho, blasfêmia. Essas coisas é que contaminam o homem, não o comer sem lavar as mãos.

Certa vez quando eu falava sobre esse assunto a um grupo de jovens, um deles perguntou se Jesus não estava se lembrando dos vermes, dos bacilos, das bactérias que entram pela boca e que contaminam o homem. Usou, para ilustrar, o caso hipotético de alguém que resolvesse tomar veneno. Se esse veneno não iria matar homem!

Jesus, nessa passagem de seus ensinos, aproveita para fazer a distinção que nem todos fazem, entre a alma e o corpo. O Homem, para Jesus, não é o corpo que pode ser contaminado pelo que entra pela boca, mas a alma, que procede de Deus e que não se contamina com a matéria.

No caso do veneno citado pelo jovem, se o indivíduo tomasse o veneno por engano, sem saber que era veneno, o seu corpo morreria, mas sua alma não seria contaminada pelo veneno. 

Mas se ele tomasse o veneno com o propósito de se matar, então essa atitude já indicava a contaminação da alma na ideia de suicídio que é um tipo de homicídio. Há que se fazer essa distinção, afinal eu sou o corpo ou eu sou a alma?

Há uma expressão muito comum: - O homem tem uma alma. O homem não tem uma alma, ele é uma alma que tem um corpo. Tanto é assim que no momento certo este corpo é abandonado aqui no mundo e a alma volta para a sua fonte de origem que é Deus. Isso segundo os ensinos da Bíblia, onde Salomão diz que o pó volta ao pó como era e o espírito volta a Deus que o deu. O próprio Jesus lá na cruz, diz: "nas tuas mãos entrego o meu espírito".

Por isso é que devemos ter muito cuidado com os nossos pensamentos, pois eles são o determinante de nossa maneira de ser neste mundo. Se os nossos pensamentos são bons, elevados e dignos, então a nossa vida também será tudo isso.

E por ter uma vida assim ninguém será condenado. Mas o mau, o ímpio, o impuro de coração e de lábios, será condenado por isso, pelos homens e por Deus, o que é muito pior.

A patroa mandou a empregada lavar um copo. Ela trouxe o copo e a patroa viu que o copo estava cheio de manchas e perguntou à empregada "- você não lavou o copo? - Lavei, dona, disse a empregada, lavei por fora.

O que seria preciso fazer era livrar-se da sujeira de dentro, pois a de fora não oferecia perigo nenhum. Higiene é muito bom. Muito melhor é uma higiene mental, espiritual constante. Podíamos resumir esta mensagem citando e arranjando os pensamentos de um filósofo, de Paulo e de Cristo. 

O filósofo diz: "eu sou aquilo que penso". 
Paulo diz: "pela graça de Deus sou o que sou... nós temos a mente de Cristo".
E Cristo diz: "bem aventurados os limpos de coração porque eles verão a Deus".

--------------------------------------------------
Samuel Barbosa é pastor jubilado da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 1960. Posteriormente graduou-se em Letras, Pedagogia, Supervisão Escolar e Especialização em Língua Portuguesa com produtiva carreira acadêmica. Pastoreou as igrejas presbiterianas de Apiaí, Correias e Itararé entre 1961 e 1962. Foi pastor da Igreja Presbiteriana de Itararé durante 32 anos até sua jubilação. Presidiu o Presbitério de Itapetininga por 22 anos e é pastor emérito das Igrejas Presbiterianas de Itararé e Itaberá. 
Tecnologia do Blogger.