Perdão


Mateus 18.21-35

- Quantas vezes se deve perdoar um irmão que pecou? Até sete vezes - perguntou o apóstolo Pedro. 
- Não, respondeu Jesus, mas setenta vezes sete

O número sete na Bíblia simboliza a perfeição. Multiplicado por setenta indica algo superior, ilimitado, assim como Deus nos perdoou em Cristo. Considere mais algumas realidades extraídas deste texto com respeito ao perdão: 

1. Considere a totalidade do perdão
Perdão com restrição não é perdão! Quando se perdoa não há reservas, nem limites. Na parábola do credor incompassível, Cristo nos mostra que embora fosse grande a dívida do servo  (10.000 talentos), o Senhor a perdoou em sua totalidade. 

Não podemos imaginar Deus dizendo para Davi: ”Eu te perdoou da cobiça e do adultério, nunca do homicídio”. Quando se perdoa uma pessoa, perdoa-se, não apenas as suas ofensas, mas a própria pessoa. 

Assim, quando eu decido declarar que a dívida foi quitada, devo compreender que a pessoa não tem mais nenhum débito comigo. O maior exemplo é Jesus. Ele é o nosso modelo de perdão.

2. Considere que o perdão acontece no íntimo do coração (vs 35). 
Na parábola, o servo que recebeu o perdão não se dispôs a perdoar sinceramente. Tinha recebido um perdão por uma grande quantia mas não foi capaz de repetir o gesto quando alguém devia a ele uma quantia infinitamente menor, cem denários. 

Dez mil talentos é seiscentas mil vezes mais que cem denários. Aquele que recebeu um perdão seiscentas mil vezes maior não conseguiu perdoar alguém que lhe devia uma dívida seiscentas mil vezes menor. O rei então o entregou aos verdugos até que ele pagasse a dívida "impagável". Isso porque, ganhando um denário por dia, era preciso que ele trabalhasse 150 mil anos! 

A lição da parábola é para o cristão cujo pecado contra Deus é sem medida, mas que não se dispõe a perdoar sinceramente as pequenas ofensas dos irmãos. 

Perdoar do intimo é não guardar rancor, nem ressentimentos. Quem não perdoa do intimo castiga a si mesmo (vs 34), toma o veneno esperando que o outro morra, sofre com problemas de saúde, na consciência e na vida espiritual. Quem não perdoa não tem a mente tranquila e lhe falta à paz, gerando dificuldade no relacionamento com Deus e com os irmãos.

3. Considere que o perdão acontece para sempre.
Essa, com certeza, é a principal característica do perdão. Quem perdoa não o faz por prazo determinado. Perdão é esquecimento voluntário. Significa que Deus nunca mais vai cobrar outra vez aquilo que Ele perdoou. 

Perdoar e esquecer significa lembrar sem sentir dor. É nunca mais cobrar da pessoa perdoada a mesma divida. 

Um fato muito comum é que nós, invariavelmente trazemos a memória os erros dos outros e os transformamos em munição para acusar os nossos semelhantes. Ou mesmo nos lembramos dos erros do passado e, apesar de termos sido perdoados por Deus, não nos perdoamos a nós mesmo. 

Ficamos atualizando diariamente a dor e nos tornamos reféns dessa situação. Nesse sentido vigiemos e mudemos de atitude, pois Satanás lança suas acusações contra nós com o propósito de nos afastar de Deus. 

Portanto temos que aprender a grande lição de que o perdão é para sempre. E nunca mais devemos cobrar a dívida.

Para pensar
Você compreende o tamanho do perdão que recebeu de Deus?
O que você precisa perdoar? 
A quem você precisa perdoar?

-----------------------------------------
Josimar Gabriel da Rocha é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se Bacharel em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 1993 Foi ordenado pastor em 1995. Trabalhou como missionário no Rio Grande do Sul como plantador da Igreja de Alegrete, RS.
Tecnologia do Blogger.