Sobre a tentação


O dicionário define a palavra tentação como substantivo feminino: prova, estímulo, aliciamento para o pecado, para a prática de um ato qualquer em que a consciência entra em jogo. Do latim Tentationem.


Uma das coisas mais comuns na vida do homem é a tentação. Ela vem tanto para o rico como para o pobre, tanto para os adeptos de uma religião como para os de outra e até para os que não professam religião nenhuma.

O próprio Cristo foi tentado e Ele usa suas próprias tentações para advertir os cristãos: "no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo". A tentação é uma experiência muito natural ao homem por causa do ambiente em que ele vive e do privilégio que Deus lhe deu de poder fazer suas próprias escolhas.

Sem a tentação e sem a capacidade de escolher entre o que é bom e o que é mau e entre o que é o bem e o que é o mal, o homem seria um boneco ou um computador sem direito de escolher sua programação; teria o mesmo valor de um inseto ou de uma lesma. Para estes a tentação não existe pois não são passíveis dela.

Cada tentação é uma encruzilhada no caminho de nossa vida; estas encruzilhadas encontramos todos os dias. Para um lado segue o caminho da felicidade, da luz, da paz. Para outro segue o caminho da desgraça e da tristeza. Os letreiros que indicam esses caminhos infelizmente foram trocados por algum "sem fazer", como diria minha mãe, em lugar de "desocupado". Ou então não sabemos ler esses letreiros.

O que indica o caminho da desgraça parece ter escrito: "caminho da felicidade", o que aponta para a verdadeira felicidade parece, às vezes, ter escrito "caminho da tristeza".

Em todas as tentações o mal se finge de bem, assume ares atrativos; faz promessas tão atraentes que muitos não resistem. Se perguntarmos a um viciado se ele está errado, vai dizer que não. Infelizmente quando chega a descobrir o engano já é tarde demais, já não há mais possibilidade de retorno.

Diz-se que Lampião, o cangaceiro, quando ia matar um desafeto, às vezes, passava por uma igreja e pagava ao padre uma missa em intenção da alma da pessoa que ia matar. Quando o padre estranhava - mas ele não morreu - Lampião respondia: - mas vai morrer. E Lampião pensava que estava certo, pois até religioso ele era. E seguiu errado até o fim de seu caminho!

Por isso Jesus adverte: "entrai pela porta estreita porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduz à perdição e muitos são os que entram por ela e porque estreita é a porta e apertado o caminho que conduz à vida e poucos há que o encontram."

Você está lendo corretamente os letreiros das encruzilhadas de seu caminho? Sempre é tempo de voltar. Há uma máxima latina que diz "Haud errat tota qui redit media via". Não importa que você já tenha atingido a metade de sua jornada, lendo erradamente os letreiros indicativos de seu caminho, se você voltar do meio do caminho não terá errado totalmente.

Todo o cuidado é pouco, pois esta vida é uma viagem sem retorno. O que você não fizer, ninguém fará por você.

--------------------------------------------------
Samuel Barbosa é pastor jubilado da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 1960. Posteriormente graduou-se em Letras, Pedagogia, Supervisão Escolar e Especialização em Língua Portuguesa com produtiva carreira acadêmica. Pastoreou as igrejas presbiterianas de Apiaí, Correias e Itararé entre 1961 e 1962. Foi pastor da Igreja Presbiteriana de Itararé durante 32 anos até sua jubilação. Presidiu o Presbitério de Itapetininga por 22 anos e é pastor emérito das Igrejas Presbiterianas de Itararé e Itaberá. 
Tecnologia do Blogger.