Aprendendo com as tempestades da vida


E ele, despertando, repreendeu o vento e disse ao mar: Acalma-te, emudece! O vento se aquietou, e fez-se grande bonança - Marcos 4:39

Jesus se dedicava com afinco e amor na sua missão ministerial. Depois de passar o dia todo ensinando, ele estava cansado, despedindo a multidão e agora saia da Galileia para o outro lado do mar. Nesta travessia ocorre uma grande tempestade que atemorizou os discípulos, mas que é acalmada por Jesus. 



Assim pode acontecer conosco. Sabemos que Jesus está na nossa vida, no nosso barco, mas muitas vezes nos deparamos com tempestades que nos ameaçam tirar a paz. Há aqui algumas lições que podemos aprender.

A primeira, é que sempre existe uma possibilidade da tempestade acontecer. Geograficamente falando, a tempestade era uma realidade comum na região em que Jesus e os discípulos estavam. O mar da Galileia está cerca de 213 metros abaixo do nível do mar; tem aproximadamente 21 km de comprimento e 14 Km de largura. Existe na extremidade meridional um vale profundo cercado por rochas que vão se afunilando através de uma colina. Assim, os fortes ventos açoitam o lago provocando violentas e repentinas tempestades. Havia sempre a possibilidade de uma tempestade acontecer.

Em nossa vida as “tempestades” também têm grande chance de ocorrer, pois representam os períodos de dificuldades do qual nunca estaremos totalmente livres nessa realidade. Eles surgem como do nada, assim como acontecia no mar da Galiléia. Muitas vezes, estamos tranquilos, mas de repente os problemas começam a aparecer.

O próprio Jesus nos previne de que passaremos por lutas, a partir do momento que tomarmos uma posição ao lado Dele. No sermão do monte, Jesus diz que as tempestades virão com o seu poder destrutivo. Hoje é o momento para refletirmos sobre a possibilidade das tempestades acontecerem em nossas vidas e se estamos preparados para enfrentá-las.

A segunda lição é que quando a tempestade acontece, revela o nosso descontrole. Os discípulos, em sua maioria, eram homens acostumados a enfrentar o mar. Eram pescadores e conheciam muito bem aquela região.

Isso nos leva a entender que não se tratava de uma simples tempestade, pois se assim fosse, eles não teriam se atemorizado tanto. Era um grande temporal eles estavam perdendo o controle da embarcação - "Ora, levantou-se grande temporal de vento, e as ondas se arremessavam contra o barco, de modo que o mesmo estava a encher-se de água”(4.37).

À semelhança dos discípulos, podemos perder o controle da situação, correndo o risco de perder o nosso casamento, família, trabalho e o barco de nossa vida ficar à deriva. O problema com a tempestade é que ela mostra o nosso descontrole, porque quando ela nos atinge ficamos sem saber o que fazer. 

É provável que você já tenha enfrentado uma tempestade na estrada quando a chuva é muito intensa, sem possibilidade de prosseguir, mesmo conhecendo o caminho. Imagine em um barco no mar com o perigo das ondas, ou bater em uma rocha e naufragar.

Nessa hora, precisamos reconhecer que não temos mais o controle da situação. Muitas vezes, Deus está esperando que reconheçamos a nossa impossibilidade de agir. Quem sabe temos tentado desesperadamente, solucionar os problemas, sem êxito. Quem sabe o Senhor está esperando você reconhecer que perdeu o controle para deixá-lo tomar conta da situação.

A terceira lição é que na tempestade podemos conhecer melhor quem é Deus. O texto nos mostra que enquanto os discípulos buscavam desesperadamente controlar o barco, “...Jesus estava na popa, dormindo sobre o travesseiro; eles o despertam e lhe dizem: Mestre, não te importa que pereçamos! E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Acalma-te, emudece! O vento se aquietou e fez-se grande bonança”. (4.38,39).

Nos momentos em que a tempestade é mais intensa, já não podemos suportar a força das ondas e todos os nossos esforços dão em nada. É nessa hora que podemos conhecer melhor o Deus a quem servimos. Quando Jesus acalmou a tempestade os discípulos ficaram espantados ao reconhecer o tamanho do poder do Mestre. Não acreditavam e diziam: “Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?” (4.41).

Muitas vezes, não acreditamos que o Senhor possa resolver nossa luta, buscamos encontrar por conta, uma saída. Mas, precisamos confiar inteiramente no Senhor e deixar que Ele nos conduza nas aflições e dificuldades. Só assim, descobriremos que apesar da tempestade ser muito forte, Jesus pode dar jeito. Só assim, na tempestade descobriremos o poder do nosso Deus!

Para pensar
Como a tempestade tem se manifestado em sua vida? O que você tem aprendido com elas? Existe alguma área de sua vida que precisa colocar nas mãos do Senhor para que Ele faça aquilo que você não pode fazer?

-----------------------------------------
Josimar Gabriel da Rocha é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se Bacharel em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 1993 Foi ordenado pastor em 1995. Trabalhou como missionário no Rio Grande do Sul como plantador da Igreja de Alegrete, RS.
Tecnologia do Blogger.