A busca do 'ter' sem o 'ser'



Preocupado com sua irmã, um rapaz passou a fazer perguntas sobre o moço com quem ela estava saindo. Em dado momento ela explodiu: 

- Ele não é tão mau assim, só porque bebe; além do mais ele tem carro. 

Indignado com a resposta o irmão perguntou: 

- Que valor tem um carro perto do valor do caráter de alguém? 

Infelizmente, observamos que as pessoas tem dado muita ênfase para o “TER” deixando totalmente de lado o “SER”. Os valores observados hoje são os materiais e não os morais.

Mas qual tipo de postura perante a vida nos faz realmente prosperar? Pelo que aprendemos na Bíblia, a ênfase no “SER” nos faz prosperar 


a) O "ser" nos faz prosperar porque nos tornaremos confiáveis 
Gênesis 39:2-5
2 - O Senhor estava com José, de modo que este prosperou e passou a morar na casa do seu senhor egípcio.
3 - Quando este percebeu que o Senhor estava com ele e que o fazia prosperar em tudo o que realizava,
4 - agradou-se de José e tornou-o administrador de seus bens. Potifar deixou a seu cuidado a sua casa e lhe confiou tudo o que possuía.
5 - Desde que o deixou cuidando de sua casa e de todos os seus bens, o Senhor abençoou a casa do egípcio por causa de José. A bênção do Senhor estava sobre tudo o que Potifar possuía, tanto em casa como no campo.
José era uma pessoa extremamente confiável. Seus atos demonstravam que era alguém de caráter, que se preocupava com o "ser". O resultado disso é que ganhou a confiança de Potifar, algo difícil de se conquistar. Será que todas as pessoas merecem essa confiança? Potifar teve coragem em confiar em José.

Certa vez assisti uma reportagem que mostrava o drama de um menino ao receber uma herança. Quando seu pai faleceu a justiça nomeou uma espécie de tutor para administrar os bens até que ele tivesse idade para cuidar dos negócios.

O tempo passou e o menino reivindicou o que lhe era por direito, mas o que ele descobriu foi que sua herança havia se desintegrado e só restavam dívidas. Com certeza o tutor deste menino não se preocupou em “ser” honesto, mas sim,  em “ter” bens materiais a todo custo. 

Mas será necessário agir assim para prosperar? É evidente que não. Como observamos, José, que era íntegro e confiável, se tornou próspero. 

Quando procuramos ser pessoas que buscam os valores morais, que são os reais valores para Deus, nos tornamos confiáveis e isso traz prosperidade. 

Alguém pode se perguntar: mas a palavra de Deus não diz que (...) maldito é o homem que confia no homem (...)? A resposta a essa pergunta está no mesmo verso que contém essas palavras. Em Jeremias 17 verso 5 lemos: 
“Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!” 
Ou seja maldito o homem que confia no seu próprio eu, nas suas próprias forças e pensa que não precisa de Deus. O que não é o caso de José, pois não traiu a confiança de Potifar, pelo contrário, a conquistou porque demonstrou que o Senhor estava com ele (vs. 3). 

b) O "ser" nos faz prosperar porque deixaremos de lado a cobiça

Quando alguém cobiça algo do próximo os resultados podem ser fatais. Lembremo-nos do caso de Davi que cobiçou a mulher de Urias que acabou sendo assassinado. Também sabemos as consequências que sofreu Davi depois destes pecados. 

José, pelo contrário, não foi cobiçoso apesar de tudo que pertencia a Potifar estar em suas mãos. 

Entrevistado por uma repórter,  um menor de rua disse se tornou ladrão porque queria muitas coisas e trabalhando não conseguiria tê-las. Mas isso não é verdade, José prosperou mesmo enquanto estava apenas na condição de escravo. 

Não podemos ser cobiçosos de coisa alguma, devemos sim, como ensinou Jesus, "busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas" - Mateus 6.33

c) O "ser" nos faz prosperar porque suportaremos as pressões que querem perverter o coração

Gênesis 39:7-127 -  e, depois de certo tempo, a mulher do seu senhor começou a cobiçá-lo e o convidou: "Venha, deite-se comigo! "
8 -  Mas ele se recusou e lhe disse: "Meu senhor não se preocupa com coisa alguma de sua casa, e tudo o que tem deixou aos meus cuidados.
9 -  Ninguém desta casa está acima de mim. Ele nada me negou, a não ser a senhora, porque é a mulher dele. Como poderia eu, então, cometer algo tão perverso e pecar contra Deus? "
10 -  Assim, embora ela insistisse com José dia após dia, ele se recusava a deitar-se com ela e evitava ficar perto dela.
11 -  Um dia ele entrou na casa para fazer suas tarefas, e nenhum dos empregados ali se encontrava.
12 -  Ela o agarrou pelo manto e voltou a convidá-lo: "Vamos, deite-se comigo! " Mas ele fugiu da casa, deixando o manto na mão dela.
Observe quanta pressão José teve de suportar. Todos os dias a mulher de Potifar o tentava mas ele se negava a praticar o adultério, pois considerava algo maldoso e contrário à vontade de Deus.

Certa vez uma escrivã de polícia recebeu a proposta de um suborno. Essa proposta ficou em sua mente como alguns dizem, "martelando". Aquilo a estava pressionando. Ela pensou no dinheiro fácil e acabou por aceitar o suborno. Mas o tempo passou e essa escrivã foi descoberta, exonerada e expulsa da polícia. 

Diante do dinheiro fácil ela achou que poderia prosperar. Todavia ela não prosperou. Perdeu um bom emprego que lhe garantia um salário mensal em troca de algum dinheiro a mais.

José prosperou porque não cedeu às pressões, não somente da mulher de Potifar, mas também à pressão de ter todos os bens de Potifar em suas mãos. Como fala um ditado popular: “dinheiro na mão é tentação”. 

Temos que, a semelhança de José, nos lembrar de Deus na hora que enfrentarmos pressões que nos querem perverter o coração. Nestas horas devemos nos preocupar em “SER” e não em “TER”. 

d) O "ser" nos faz prosperar porque não seremos ambiciosos

Aquele que é excessivamente ambicioso só pensa no lucro e se esquece das outras coisas. O poder corrompe e até muitas boas intenções se perdem em meio a ele.

Se José fosse assim, poderia ter tentado tomar completamente o lugar de seu dono, não se contentaria em apenas administrar os bens de Potifar. Ele nem ao menos se lembraria que seria uma maldade adulterar com a mulher de Potifar e que estaria pecando contra Deus. 

Outro exemplo de alguém que não foi ambicioso foi o de Salomão. O Senhor lhe falou em sonho mandando que pedisse o que quisesse. Salomão poderia ter pedido riquezas e glória, mas pediu sabedoria. Deus se alegrou com o pedido dele e deu sabedoria inigualável e também riquezas e glória - coisas que não constavam no pedido original.

e) O "ser" nos faz prosperar porque obteremos a ajuda de Deus

Gênesis 39:2
2 -  O Senhor estava com José, de modo que este prosperou...
José poderia ter sido alguém completamente diferente, pois teve profundas marcas no seu passado, tendo sido vendido pelos irmãos, se tornado escravo, passando pelas mais difíceis circunstâncias. Por ter perdido todas essas coisas, ele poderia ter abandonado a Deus. 

Mas José toma um rumo diferente. E por isso pode, em tudo, contar com as bênçãos de Deus, com o seu socorro. 

Há muitos que vão em busca do "TER" sem o "SER", conseguem até prosperar mas acabam muito mal. Não devemos nos indignar por causa da ilusória prosperidade dessas pessoas. 

A palavra de Deus nos diz: “Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniquidade. Pois em breve murcharão como a relva, e secarão como a erva verde." - Salmo 37.1,2 

Precisamos que a graça do Senhor esteja presente nas nossas vidas e por isso temos que procurar agradar a Deus agindo de conformidade com Sua palavra. 

Sabemos que “...tudo o que o homem semear, isso também ceifará" - Gálatas 6.7 

Conclusão 
Havia um homem riquíssimo, que a vida inteira procurou ter, ter, ter. Nunca se preocupou em ser. De tão rico, ficou com medo de ser assaltado ou sequestrado. Resolveu se isolar do mundo ficando numa casa que mais parecia uma fortaleza. 

Um dia ele precisou de ajuda, pois começou a passar mal. Então telefonou para a polícia, que chegou rápido, mas só ele poderia abrir para eles o socorrerem. Ouvindo o barulho da polícia ele teve medo, não abriu e se escondeu no banheiro. Acabou morrendo.

Era um homem que não usufruiu de sua riqueza pois tinha medo, todo dinheiro não o salvou da morte e o que é pior com tanto “Ter” ele não conseguiu "Ser": amado, respeitado, feliz e tantas outras coisas. 

Deus nos concede Sua maravilhosa graça, temos ela bem presente em nossas vidas, mas o que nós temos sido? Que o Senhor nos ajude a sermos como ele quer que nós sejamos. 

--------------------------------------------------
Danilo Cassemiro de Campos é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2010. Ordenado em 2011. Bacharel em Design (Projeto do Produto) pela Faculdade Asseta de Tatuí (2008), além de Técnico em Processamento de Dados e Hardware (1998 e 2002). É fundador e editor do site www.desimax.com.br
Tecnologia do Blogger.