Sociais

Enfrentando a depressão



O que diferencia a depressão da tristeza comum é que a primeira é uma tristeza bem mais profunda, acompanhada de um desânimo geral em várias áreas da vida. É quando os dias se tornam cinzentos e as atividades que você fazia com grande prazer se transformam em pesados fardos tirando a produtividade.

À noite o sono não vem, ou quem sabe, dá vontade de dormir o dia todo. Nos momentos mais difíceis há confusão emocional, pensamentos negativos e invasivos – eles vem sem você querer.

Não se engane. Hoje a depressão é algo comum. Arrisco dizer que a maioria das pessoas experimenta depressão – apesar de poucas assumirem e muitas conviverem com ela em silêncio.

A depressão incomoda muito nossa geração, pois somos imediatistas e gostaríamos que ela saísse como quem cura uma dor de cabeça ao tomar um comprimido. Mas a depressão não “sara” do dia para noite. Ela pode durar dias e até mesmo meses a fio. E é justamente aí que o desespero se instala e você sente que sua vida desce em uma espiral cada vez mais em direção a uma tristeza intransponível.

Como enfrentar e sair da depressão?


Não é algo fácil ou do dia para a noite. Por isso não tenha muita pressa em se “sentir bem”, até porque o Deus soberano usa também do sofrimento para aperfeiçoar seus filhos, para moldar o caráter e aprofundar o relacionamento. Portanto é uma boa hora de você avaliar as bases da sua vida, o rumo que ela tem tomado e onde você pode mudar para ter uma qualidade de vida maior.

E a partir do reconhecimento da existência da depressão e também de que é necessário um processo para atravessá-la é que você vai realmente dar o primeiro passo para superar tudo isso na sua vida. Mas entenda... é um processo. Não torne ele mais dificultoso ou penoso para você.

Comece, por exemplo, identificando a causa da depressão. Isso nem sempre é tão fácil, pois pode ser algo objetivo (como uma dívida ou pressão no trabalho) ou subjetivo (tristeza que aparece do nada). Mas mesmo sentimentos subjetivos têm início em situações objetivas. 

Por exemplo, uma pessoa que leva a vida sem propósitos, sem horário, sem vida social, sem ambição ou disciplina pode sentir um vazio ou falta de propósito como um buraco no coração. Seria interessante essa pessoa mudar sua vida a partir daí e procurar viver com mais objetivos.

Uma vez que você identifique o que está lhe causando depressão, se informe mais sobre o assunto e procure buscar soluções. Se são as dívidas, faça um curso de como administrar melhor seu dinheiro. Se for o trabalho, quem sabe um planejamento de boas férias para relaxar? Se são sentimentos de perdas, encare-os de frente, chore e coloque-os para fora.

Mas, como eu disse, isso não acontece do dia para a noite. Nesse processo são importantes algumas dicas para você “sobreviver” aos dias difíceis:

Não se afaste da comunhão da Igreja. Frequente os cultos, reuniões de oração, se alimente dos ensinos da Bíblia e busque a Deus. A comunhão com os irmãos da igreja é fortalecedora. A busca da presença de Deus fará você forte para passar até mesmo pelo “vale da sombra da morte”.

Aprenda a lutar com seus pensamentos. Não dê lado ao excesso de negativismo. Lute para avaliar a si mesmo de maneira equilibrada – sempre encontre também uma qualidade quando pensar em um defeito.

Faça uma boa caminhada com um amigo. A caminhada tira você do seu “mundinho” e lhe dá uma ótima oportunidade de colocar para fora as coisas que você sente.

Reflita sobre sua vida – você tem tido expectativas altas demais? Tem tido pensamentos irrealistas? Objetivos muito difíceis? Está colocando em sua vida um foco certo, de acordo com a Palavra de Deus? O que é necessário mudar?

Procure pessoas que gostem de estar com você. Se na alegria é importante ter amigos, na tristeza eles são uma bênção de Deus para as nossas vidas. Não se isole.
Faça as coisas que você gosta – assistir um filme, nadar, passear. Aprenda a apreciar os pequenos prazeres e alegrias do seu dia-a-dia.

Busque ajuda. Se você percebe que seus sentimentos são muito intensos, busque um pastor qualificado ou um profissional para lhe ajudar.

E, por fim, encare seus problemas com objetividade e esperança, pois se você confia em Jesus, saiba que mesmo na mais profunda depressão você pode encher-se de esperança. Deus quer ensinar algo a você. E Deus vai ajudá-lo no processo.

Mas lembre-se: você deve se ajudar também!

Tenha esperança!

--------------------------------------------------
Andrei de Almeida Barros é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Em 1998 trabalhou como missionário em Portugal. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e ordenado pastor em 2004.
É fundador e editor do site www.semeandovida.org
Google Plus