Cristo nos revela o verdadeiro evangelho



Paulo, apóstolo enviado, não da parte de homens nem por meio de pessoa alguma, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai, que o ressuscitou dos mortos... Quanto ao que lhes escrevo, afirmo diante de Deus que não minto - Gálatas 1.1,20

Já há um bom tempo no Brasil têm proliferado muitas denominações de seitas e religiões. É bom diferenciarmos o que é religião ou seita. Religião é uma palavra que vem do latim: religare, significando religação com o divino (1).

Para nós é a busca de nos religarmos ao Soberano Deus, do qual fomos desligados pelo pecado original. A palavra seita provém do latim secta (de sequi, que significa seguir), um curso de ação ou forma de vida, designando também um código comportamental ou princípios de vida ou ainda uma escola de filosofia ou doutrinas (2).


Alguém pode seguir uma seita que não necessariamente busca religar-se com o divino. É por isso que algumas denominações podem até se dizer cristãs, mas não são reconhecidas como religião e sim como seita, ou seja, estão seguindo algo, porém não estão buscando religar-se com Deus.

As igrejas da Galácia estavam no rumo certo, mas neste percurso tiveram algumas situações que podiam desviá-las. Nesse contexto o apóstolo Paulo escreve aos Gálatas uma carta para tratar de diversos assuntos, dois quais destaco dentro deste tema três realidades:

1. Muitos abandonaram o evangelho de Cristo. 
Paulo havia pregado aos Gálatas em sua viagem missionária, muitos se converteram e deram origem a igrejas na Galácia. O apóstolo pregou o evangelho de Cristo, a boa notícia de Salvação e vida eterna àqueles que haviam sido separados de Deus pelo pecado. Agora existia a ponte de ligação entre eles e Deus: Jesus. Mas na sua ausência, alguns começaram a perturbar e agitar os gálatas dizendo que crer em Jesus não era o suficiente. Era necessário também a circuncisão.

No Antigo Israel este procedimento tinha de ser realizada ao 8.º dia do nascimento em todo menino. Era uma forma de corte para despender uma pele do órgão genital masculinho e simbolizava a entrada na aliança de Deus com Abraão, pertencendo a partir daí a religião judaica. Até hoje, para ser tido como judeu, é preciso passar pela circuncisão.

O que significa que no contexto de Paulo havia gente querendo judaizar o cristianismo dos gálatas, misturando-o com as práticas da antiga aliança de Deus. E assim, infelizmente, muitos cederam às pressões daquele grupo, às suas ideias, e abandonaram o apóstolo Paulo, aquele que havia ensinado o verdadeiro evangelho de Cristo. O evangelho que ele recebeu do próprio Jesus por revelação especial e os retransmitiu.

2. Hoje muitos abandonam o evangelho de Cristo. 
A mesma situação continua ocorrendo ainda hoje, pois muitos querem misturar o verdadeiro evangelho a coisas que tem origem meramente humana, práticas que não condizem com as verdades contidas na palavra de Deus. E assim acabam indo além do que ensina o evangelho de Cristo, com modismos e práticas as quais não tem importância alguma dentro do plano de redenção instituído por Deus.

São Crendices, seitas alternativas, pregadores inflamados de um fogo estranho, prosperidade material obstinada, cura física sem se importar com a cura espiritual. Há uma busca pelo próprio prazer, pelos próprios interesses e Deus fica em segundo plano, esquecido. Outros não acham uma igreja que seja perfeita, ou que atenda a suas necessidades. Usam então como desculpa para não assumirem compromisso com igreja alguma.

O Rev. Ricardo Agreste escreveu há uns anos um livro intitulado: “Igreja, to fora”, tratando de decepções das pessoas em relação à igreja. Achando após algum tempo o livro como incompleto, escreveu outro, o “Igreja, to dentro”, agora com uma visão mais positiva. A verdade é que o verdadeiro conceito bíblico de igreja não é a construção ou as quatro paredes.

A igreja é feita de pessoas como eu e você, que estão sujeitas aos mesmos erros, às mesmas dificuldades, a tristezas e alegrias. Enfim, Cristo mesmo disse que Ele veio para buscar e salvar aqueles que estavam perdidos, de forma que somos uma comunidade de encontrados em Cristo que buscam agora uma maior comunhão com Ele.

Se você procura perfeição na igreja militante aqui na terra, esqueça, pois a busca da perfeição é um processo que vai desde o momento em que Cristo nos encontrou até a sua segunda vinda a este mundo para buscar aqueles que o Pai lhe deu. E se olhar para igreja, você vai encontrar pessoas no caminho, muitas que se esforçam nessa busca, outras que seguem sem muito vigor e ainda outras que já abandonaram o evangelho de Cristo.

3. Cristo revelou o seu verdadeiro evangelho aos gálatas. 
Paulo estava distante fisicamente, mas não estava ausente e alheio ao que acontecia nas igrejas da Galácia. Deus havia colocado em seu coração o cuidado e o zelo em relação ao seu chamado para pregar o evangelho de Cristo e defendê-lo das deturpações.

Assim, a graça dada por Deus através Cristo, foi transmitida novamente pela proclamação de Paulo. O verdadeiro evangelho de Cristo estava sendo novamente pregado aos Gálatas que deveriam voltar os seus olhos a esta verdade libertadora, Jesus (João 8.32 – João 14.6).

Por isso Paulo enfatiza tanto no texto a quem ele representava, de quem ele recebeu a mensagem, e qual era a sua real motivação. Ele não está chateado por não ser mais o centro das atenções, por ter sido deixado de lado, na verdade ele nem estava preocupado em ser agradável aos homens e deixar todo mundo contente e satisfeito.

A preocupação de Paulo era que as igrejas da Galácia se mantivessem fiéis a Cristo e a sua mensagem de Salvação e vida eterna de forma pura e simples. Os Gálatas, afirmou Paulo, não deveriam dar ouvidos a judaizantes, pois em Cristo temos uma nova aliança no seu sangue. O sacrifícios de animais foram substituídos pelo sacrifício de Cristo. A circuncisão foi substituída pelo batismo.

Temos pleno acesso a Deus por meio de Jesus. Por isso tudo Paulo é enfático quando diz no verso 20: "Quanto ao que lhes escrevo, afirmo diante de Deus que não minto". Ele nos exorta: “sede meus imitadores como eu sou de Cristo”. A graça da salvação em Cristo veio da própria mensagem dada a Paulo, investido da autoridade que Jesus mesmo o deu chamando para pregar com zelo. E assim, Cristo revelou seu verdadeiro evangelho aos Gálatas.

4. Cristo revela-nos o seu verdadeiro evangelho. 
Uma medalha cunhada por ordem do imperador romano Diocleciano trazia a seguinte inscrição: "Que o nome de cristão seja extinto". Certamente, poucos conhecem ou já ouviram falar nesse imperador. Entretanto, o nome “cristão“ continua a definir aqueles que são salvos por Cristo e constituem sua gloriosa e indestrutível Igreja até o dia de hoje.

Cristo, ainda hoje, revela-nos o seu verdadeiro evangelho. Que Ele nos fortaleça a fé, de forma que nunca venhamos a desviar deste caminho. E se por ventura você que está lendo passou por algum desvio, a semelhança do que Deus fez aos gálatas, hoje te dá oportunidade para voltar a direção certa, hoje é tempo oportuno para assumir um compromisso com Deus.

Busquem o Senhor enquanto se pode achá-lo; 

clamem por ele enquanto está perto. 
Isaías 55. 6

--------------------------------------------------
Danilo Cassemiro de Campos é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2010. Ordenado em 2011. Bacharel em Design (Projeto do Produto) pela Faculdade Asseta de Tatuí (2008), além de Técnio em Processamento de Dados e Hardware (1998 e 2002). É fundador e editor do site www.desimax.com.br
Tecnologia do Blogger.