Aparência

Felicidade apenas para os outros
Certa ocasião, uma velhinha viajava num ônibus urbano, no Rio de Janeiro. Chorava o tempo todo. Quando se aproximou de seu ponto de desembarque no centro da cidade, ela, num esforço muito grande, parou de chorar, empoou o rosto e desceu. Mais adiante postou-se numa esquina e passou a apregar a felicidade: - quem quer comprar a sorte grande? perguntava a mulher aos passantes. Ela, uma infeliz que chorava, oferecia a sorte grande e a felicidade aos outros!

(Extraído do livro “Pense Comigo – Meditações Evangélicas”, 1ª Edição – Rev. Samuel Barbosa)

As aparências enganam
Numa noite, vi à luz do luar um quadro estranho. Um homem agachado sobre uma senhora, que se contorcia no chão. Parecia a prática de um crime horrendo. Fui me aproximando. Ele continuou a agredir a mulher no abdômen. Desci do carro e gritei apavorado: "O que é isso, cavalheiro? A mulher está morrendo!" Ele respondeu: "Graças a Deus já está melhor com a massagem". Transportei-os de carro para a casa, nem precisando de médico. Isto mostra "a mentira das aparências".

(Extraído do livro “Os meus dias” – Rev. Lázaro Lopes de Arruda, 1997.)
Tecnologia do Blogger.