Hino 114 - Brilho Celeste



1. Peregrinando por sobre os montes
E pelos vales, sempre na luz,
Cristo promete nunca deixar-me,
"Eis-me convosco" - disse Jesus. 


    Brilho celeste! Brilho celeste! 

    Enche a minha alma, glória do Céu!
    Aleluia! Sigo cantando,
    Dando louvores, pois Cristo é meu!

2. Se vejo sombras por toda parte,
O Salvador não hão de ocultar!
Pois Cristo é luz que nunca se apaga,
Bem ao seu lado sempre hei de andar.

3. A luz bendita me vai guiando
Em meu caminho para a Mansão;
Mais e mais perto seguindo o Mestre,
Possuo o gozo da salvação


Informações
Letra: Henry J. Zelley, 1859 - 1942
Tradução: Benjamin Rufino Duarte, 1906
Música: George H. Cook, séc. XIX

História
O Rev. Benjamin Rufino Duarte, sobre quem não há muitas informações, é o tradutor deste hino do Rev. Henry J. Zelley. Nascido em Mount Holly em 1859, estudou nas escolas dessa cidade, no "Pennington Seminary" e na "Taylor University". 

Foi ordenado pastor Metodista em 1882. Ocupou diversos cargos nessa denominação até sua aposentadoria em 1929. Foi um excelente pregador e pastor, marcando seu ministério pelo fervor evangelístico. Escreveu mais de 1500 poemas, hinos e cânticos espirituais. 

Seu hino mais conhecido e divulgado no Brasil é "Brilho Celeste", associdado à música de George Harrison Cook, um compositor do final do século dezenove, sobre quem a História poucos registros deixou. Sabemos que foi pastor de ministério muito produtivo. Converteu-se aos quatorze anos e desde cedo dedicou- se à música. 

Além de pregador foi compositor de hinos, cantor e regente de coros, bandas e orquestras. Sua única música que chegou até nós é esta "Heaven Sunligth". O Rev. George H. Cook viveu os últimos anos de sua vida em Ocean Grove, Nova Jersey.' Aí faleceu em 1949.

Tecnologia do Blogger.