Cuidado com a incredulidade


Espera-se a paz, e nada há de bom; o tempo da cura, e eis o terror (Jr 8.15).

Sabemos que devemos, em meio às dificuldades, esperar e confiar no Senhor. Mas isso não é fácil. Dependendo da pessoa, a mesma espera pode causar resultados bem diferentes. 

Em algumas, fortalecimento espiritual; em outras, desânimo e falência. Quando você tem que esperar por algo, o que acontece em sua vida? Você se fortalece ou desanima?

Somos fortalecidos quando lembramos que esperar pelo Senhor não quer dizer que Deus se esqueceu de nós, que nos abandonou. Devemos sempre encarar a espera como um momento de preparo e fortalecimento. 

Devemos tomar cuidado, pois é fácil desanimar e desistir. Paul David Tripp diz que cinco hábitos de incredulidade podem nos enfraquecer nesta hora. 

E por isso devemos ficar atentos e evitá-los. Eles são: Ceder à dúvida, ceder à ira, ceder ao desânimo, ceder à inveja e ceder à apatia.

1. Ceder à dúvida. Questionar Deus. Não aceitar o momento que está passando. É o perigo de duvidar da bondade, da sabedoria e do amor de Deus. 

2. Ceder à ira. Nas dificuldades, perder o controle das emoções. Ficar constantemente irado com as circunstâncias, contras as pessoas. E na verdade, estar irado contra Deus, porque é Deus que controla todas as coisas. 

3. Ceder ao desânimo. A dúvida e a ira levam ao desânimo. Inconformado com a situação não encontra mais ânimo para viver. Vive no aguardo e solução dos problemas. 

4. Ceder à inveja. Começa a olhar para as outras pessoas com raiva e inveja. Acha injusto elas não estarem sofrendo também. Olha para as pessoas desejando o lugar delas. 

5. Ceder à apatia. O desânimo vai se desenvolvendo e transforma-se em indiferença, frieza e abatimento. Falta energia, sobra incredulidade.

Precisamos nos afastar disso tudo. Quando chamados a esperar no Senhor devemos aproveitar a oportunidade que temos de crescer na fé. No lugar de questionar Deus, devemos entregar nosso caminho a ele. Ele é sábio e amoroso.

Deus conhece o tempo de cada coisa.

Comentários