Não me conheces?


Porque, agora, vemos como em espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então, conhecerei como também sou conhecido (1 Co 13.12). 

Ficamos muito felizes quando alguém nos chama pelo nome. Achamos bom ser reconhecidos. Maior alegria temos em saber que Deus nos conhece. 

Deus nos chama pelo nome, nos trata de forma especial e individual. Mas e nós conhecemos a Deus? Por mais difícil que seja conhecer a Deus, o quanto nos esforçamos para isso? 

A falta de conhecimento de Deus infelizmente é algo muito comum. Vemos um exemplo disto em João 14. Jesus está confortando seus discípulos. Ele fala sobre as muitas moradas da casa do Pai. Jesus diz que é o caminho, a verdade e a vida.

Também fala que quem o conhece, conhece o Pai. Neste momento, Felipe fala com Jesus dizendo: “Mostra-nos o Pai, e isso basta" (Jo 14.8). Jesus, aparentemente o repreendendo, responde: “Felipe, há tanto tempo estou convosco e não me tens conhecido?” (Jo 14.9). 

Fico pensando, da mesma forma que nos alegramos em ser conhecidos por alguém, ficamos tristes quando alguém próximo não sabe nem o nosso nome. 

Felipe, tão próximo de Jesus, não o conhecia muito bem. Ele estava na presença de Deus e pedia para ser apresentado ao Pai. Felipe faz uma pergunta decepcionante a Jesus. 

A resposta de Jesus é ao mesmo tempo graciosa e questionadora. Ele diz: “Faz muito tempo que estou com você”. 

Jesus deixa claro seu amor, sua disposição. Ele é um Deus pessoal, esteve e está sempre presente conosco. Depois ele completa sua frase dizendo: Você ainda não me conhece? Jesus questiona Felipe. Como podia ele, depois de viver tanto tempo com Jesus, ainda não conhecê-lo? 

Não magoe Jesus. Ele é o seu melhor amigo. Não devemos deixar nunca de buscar conhecê-lo, de lembrar que podemos contar com a sua ajuda e de que ele é poderoso para nos dar tudo que precisamos. 

Ele é o caminho, a verdade a vida. Através do conhecimento de sua obra na cruz temos acesso aos céus. Somos salvos por Jesus.

Comentários