Enquanto os ventos uivam


Em paz me deito e togo pego no sono, porque, SENHOR, só tu me fazes repousar seguro (SI 4.8). 

Um fazendeiro que procurava um ajudante disse a um homem que encontrou na cidade: Você é um bom lavrador? Bem, eu posso dormir enquanto os ventos uivam, respondeu o pequeno homem. 

Embora confuso com a resposta, o fazendeiro, desesperado por ajuda, o empregou. O pequeno homem trabalhou bem ao redor da fazenda, mantendo-se ocupado do alvorecer até o anoitecer e o fazendeiro estava satisfeito com o trabalho do homem. 

Então, uma noite, o vento uivou ruidosamente. O fazendeiro pulou da cama, agarrou um lampião e correu até o alojamento dos empregados. Sacudiu o pequeno homem e gritou: Levanta! Uma tempestade está chegando! Amarre as coisas antes que sejam arrastadas!

O pequeno homem virou-se na cama e disse firmemente: Não, senhor. Eu lhe falei, eu posso dormir enquanto os ventos uivam. Enfurecido pela resposta, o fazendeiro estava tentado a despedi-lo imediatamente. 


Em vez disso, ele se apressou a sair e preparar o terreno para a tempestade. Do empregado, trataria depois. Mas, para seu assombro, ele descobriu que todos os montes de feno tinham sido cobertos com lonas firmemente presas ao solo. 

As vacas estavam bem protegidas no celeiro, os frangos nos viveiros e todas as portas muito bem travadas. As janelas bem fechadas e seguras. Tudo foi amarrado. Nada poderia ser arrastado. 

O fazendeiro então entendeu o que seu empregado quis dizer e retornou para sua cama para também dormir enquanto o vento soprava. 

Quando estamos preparados, nada temos a temer. Dia a dia devemos semear, trabalhar para o bem e tomar os cuidados necessários. 

Quando a tempestade vier estaremos preparados. No lugar do pânico e preocupação, podemos descansar e dormir nos braços do Senhor. 

Quem vem de uma caminhada de trabalho, quem está vivendo próximo de Deus, tem sua fé fortalecida. Por isso pode dormir enquanto os ventos uivam. 

Confia no Senhor e faça a sua parte.

Comentários