Carentes da glória


Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus (Rm 3.23). 

Deus nos criou à sua imagem, para o glorificarmos e difundirmos a sua glória no mundo. Fomos criados para a glória de Deus. Lembrando que glorificar a Deus não significa torná-lo mais glorioso. 

É nosso dever, mas se não o glorificamos, quem perde somos nós. Se blasfemamos contra Deus seu valor não é diminuído.

“O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas. Nem é servido por mãos humanas, como se de alguma coisa precisasse; pois ele mesmo é quem a todos dá vida, respiração e tudo mais” (At 17.24-25). 

Infelizmente, muitos têm fugido ao seu propósito, deixando de dar glória a Deus. “Em vez de adorarem ao Deus imortal, adoram ídolos” (Rm 1.2 - NTLH). 

Por isso, se tornam objeto da ira de Deus, sujeitos a sua condenação. Deus, em sua grande misericórdia, enviou seu filho ao mundo para salvar os pecadores. “Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal" (lTm 1.15).

“Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus” (lPe 3.18). 

“Se a notícia mais aterradora no mundo é que caímos sob a condenação do nosso Criador, a melhor notícia é que Deus decretou um meio de salvação. Ele entregou seu filho para morrer por pecadores e vencer a morte deles por sua própria ressurreição” (John Pipper). 

Creia no evangelho: “Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa" (At 16.31). O evangelho é anunciado e desperta em nós a fé. A fé salvadora opera profunda mudança em nosso coração.

"Dar-lhes-ei coração para que me conheçam que eu sou o SENHOR; eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus; porque se voltarão para mim de todo o seu coração” (Jr 24.7). A conversão imprime em nós um novo gosto espiritual pela glória de Deus.

Comentários