Desdenhar


Ele olha com desprezo tudo o que é alto; é rei sobre todos os animais orgulhosos (Jó 41.34 - Sl 31.18-21). 

Conhece a fábula “A raposa e as uvas” de Bocage? 

Conta que certa raposa, andando muito esfaimada, viu roxos, maduros cachos pendentes de alta latada. De bom grado os trincaria, mas sem lhes poder chegar, disse: 

- Estão verdes, não prestam, só cães os podem tragar! 

Eis que cai uma parra, quando prosseguia seu caminho, e, crendo que era algum bago, volta depressa o focinho. 

Lembrei da frase “quem desdenha, quer comprar”. 

Desdenhar significa considerar ou tratar (alguém ou algo) com desprezo ou desamor; desprezar. Quem menospreza, (muitas vezes) quer o objeto. 

Desdenhar, depreciar o objetivo ou objeto não alcançado é uma atitude muito ruim que muitas vezes cometemos. 

Quando deveríamos seguir o conselho bíblico de nos alegrar com os que se alegram, infelizmente, às vezes tentamos desconstruir e diminuir a importância do outro. 

Quando alguém faz uma boa ação logo vem a nossa mente: “Ele está querendo aparecer”. Quando o outro conquista algum bem material, sempre tem alguém que pensa: “Para ele é fácil, ganha um bom salário e ainda conta com a ajuda de seus pais”. 

A lista do desdenhar poderia ser enorme. Vou parando por aqui. 

Devemos aprender a valorizar tanto as nossas conquistas como as conquistas dos outros. Precisamos tomar cuidado para não tratar o nosso próximo com indiferença. 

Da mesma forma que gostamos quando alguém nota e se alegra com as nossas conquistas, devemos ter a sensibilidade de apoiar os outros. 

Palavras de incentivo, motivação e reconhecimento do mérito sempre são bem-vindas. Elas são demonstração de amor. Mostram que temos cuidado com o nosso próximo e demonstram humildade. Provam que não somos egoístas, individualistas. 

Que no lugar de desprezar os alvos não alcançados, possamos nos alegrar com quem já chegou lá. E nunca perdendo a esperança de também conquistarmos nosso objetivo, pois logo pode chegar a nossa vez. 

Que nos preocupemos com os outros e não apenas conosco mesmo.

Comentários